O presidente Jair Bolsonaro, através de seu porta-voz Otávio do Rêgo Barros, determinou que o Ministério da Defesa realize as “comemorações devidas” em referência ao dia 31 de março de 1964, quando começou a ditadura militar no Brasil. 

Barros também afirmou que o presidente não considera que houve um golpe militar. A fala tem repercutido Brasil afora, especialmente porque o deputado federal (SP) Eduardo Bolsonaro, filho do presidente,

Leia mais