BRASÍLIA – Pâmela Vieira tentava desesperadamente passar pelo cordão de isolamento improvisado pela polícia. Com oito meses de gravidez, levava as mãos à barriga e gritava aos prantos o nome do marido. Foi barrada por agentes da Polícia Civil. 

Leia mais