É desnecessário explicar a Gravidez, pois muito já foi dito sobre o assunto. O objetivo deste texto é discorrer sobre a relações existentes entre a Mãe e o Feto durante a Gestação, além da relação entre a Gravidez e Espiritismo. Ligados biologicamente a partir do ato da concepção, a Mãe e o Feto também estão ligados Espiritualmente. Como a Codificação Espírita explica, nenhuma Reencarnação é espontânea e aleatória.


Deus é responsável por determinar qual Filho nascerá de qual Mãe, pois para tudo há uma razão, mesmo que ela não seja clara para a mãe naquele momento.

A ligação entre Mãe e Filho é tão forte que o Feto sabe, mesmo antes de nascer, se é desejado ou não pela Mãe. Por isso é importante, até segundo os próprios médicos, aliviar o estresse durante a gestação e evitar conflitos. O útero materno é o lar do bebe e ele precisa de uma casa tranquila.

Importância da gravidez dentro do Espiritismo.

Quando Deus, na sua infinita sabedoria, criou o processo da Reencarnação, Ele decidiu que nós deveríamos voltar na condição infantil de maneira a permitir que nós pudéssemos receber impressões geradas pela educação dos nossos pais, de tal forma que pudéssemos modificar os nossos passos para melhor.

Por outro lado, Deus assim sabiamente procedeu, para permitir que os Pais, no contato com a candura e a beleza expressa no rosto da criança, renovassem a própria vida.

Sim, principalmente nos dias de hoje em que Valores Morais importantes estão estremecidos na sociedade, a chegada de uma criança a um lar reaviva a chama de amor do Cristo, aproxima as pessoas de Deus, reanima-as nos projetos de melhora Espiritual.

Deus sabe o que faz. Deus sabe o que permite. Abençoados são todos os lares que estão recebendo a chegada de um filho neste momento.

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 10/08/19, na Rede Espirit Book.