É doloroso para mim ter que relatar e lembrar de tudo que passei antes e após desencarnar. Doloroso, mas necessário. Precisava dessa comunicação que me foi permitido, pois as sequelas são grandes e o processo de refazimento é muito lento.
Quero gritar aos quatro cantos para que as pessoas não cometam atos insanos como eu cometi. É muito sofrimento, muito doloroso e de nada adianta.
Na verdade, tudo começa com uma grande perturbação em nossa cabeça. Parece que uma voz vem até nosso ouvido dizer o que temos que fazer para amenizar as nossas dores, é uma voz do mal que não devemos escutar, mas ela toma conta de nós e passamos a dar crédito a tudo que ela nos fala. Claro que é tudo fruto da nossa mente perturbada e, ao darmos crédito, cometemos, muitas vezes, atos insanos.
Sei que fui um fraco. Acho que passei a minha vida sendo um fraco. Não foi da noite para o dia. Nada é assim tão de repente, tudo é um processo.
Não damos crédito ao que sentimos, nos deixamos ser conduzidos e, quando percebemos, já é tarde demais. Não nasci para morrer assim dessa forma. Deus não me deu a vida para que eu a tirasse, assim, sem pensar. E aí temos que pagar por esses atos errados que cometemos.
Preciso dizer que é muito sofrimento. Fui recolhido, muito tempo depois, de um vale escuro e gelado. Acho que me jogaram ali para eu pensar. Pensar em tudo que fiz com a minha vida. Esses pensamentos geraram dor, muita dor.
A todo momento me senti vivo e arrependido. Qual a razão de tirar a minha vida se eu me sentia vivo? Agora sim, o sofrimento foi muito maior.
Pensava eu… Que fazer agora? O que eu fiz com a minha família? O que eu fiz com os meus amigos queridos? O que eu fiz comigo?
Quantas lágrimas deixei. Quanto sofrimento deixei.
Não feri só a mim, mas a todos que me amavam. Será que foram muitos? Não sei, pois não tive mais a consciência de ver. Fui tolhido de tudo. De amor, de amparo, de notícias. De tudo mesmo, até chegar à verdadeira exaustão e ao verdadeiro arrependimento. Só assim fui recolhido e amparado.
Estou em tratamento, pois muitas feridas consegui provocar no meu corpo e no meu espírito. Meu espírito está triste. Sinto um grande vazio. Minha cabeça está oca.
Meu coração pulsa em ritmo acelerado. Quantas coisas sinto hoje que não sentia antes e não posso mais tirar minha vida novamente, porque ela se foi.
Queria dizer à minha família que meu arrependimento é imenso e peço desculpas por tanto sofrimento causado. Ninguém tem culpa. A culpa é totalmente minha. Somos responsáveis pelos nossos atos.
Queria dizer a meus amigos do coração, a falta que me fazem. Não existe mais aquele papo gostoso e é muito dura essa separação.
Estou aqui a caminhar em passos lentos, mas vencerei.
Fé e força é o que estou pedindo agora e obterei.
Fiquem todos na paz.
Retornarei um dia com uma bela mensagem.
Abraços eternos.

 

Roberto.

* Marco Antonio Correa (Blog Espírita)