– Mestre – disse o discípulo comovido -, doei tudo quanto eu possuía

E agora venho seguir-te.

Respondeu-lhe o sábio: – Deste somente o primeiro passo no caminho da elevação espiritual,

Que te servirá de base para aprenderes a dar-te.

– Isolou-se do mundo para amar a Deus.

A sós, porém, perdeu o contato com Deus

e desiquilibrou-se a si mesmo.

 

– Estava embevecido, contemplando a Lua

Na água tranquila do lago. Contentava-se com

O reflexo, embora tendo-a, real, um pouco mais acima da cabeça.

 

– Emocionado, deixava-se envolver pela minha canção.

Seria melhor que, ao invés de ouvir, viesse cantar comigo.

 

– Vivia buscando fora o amor que não chegava.

Envelheceu, aguardando. Quando o sofrimento se fez mais

forte e a soledade mais cruel, resolveu amar a todos que encontrasse.

Só então se deu conta que o amor lhe habitava no íntimo,

Ansioso por oferecer-se a alguém.

 

– Impregna a vida com o perfume da tua abnegação,

Mesmo que tudo quanto tenhas não seja mais do que o desejo

De ser útil e bom.

 

Rabindranath Tagore