O terremoto aconteceu às 3:36 hora local na Itália. Foi de magnitude 6,2 e ocorreu a 76 km de Perugia. Deixou 130 mortos e se falam de mais de 300 desaparecidos. Cidades de Amatrice, Accumoli e Norcia sofreram maiores danos. O impacto foi maior perto de Perugia, região localizada a menos de 200 km de Roma, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, organismo que registra os tremores em todo mundo. O Itamaraty informou que não há registro de brasileiros entre as vítimas.
O tremor foi sentido por 20 segundos na capital, Roma, e também no Vaticano.

Diante de tantas tragédias porque passa a humanidade, a Doutrina Espírita nos esclarece que há dois tipos de mortes coletivas a considerar: as naturais e as provocadas pelo homem.

Naturais são aquelas causadas pela natureza, como por exemplo a peste, a fome, as inundações, os terremotos, os vendavais, entre outros, e haverão de cessar quando a Terra deixar de ser mundo expiatório.

Já as tragédias provocadas pelo homem revelam predominância da matéria sobre o Espírito e representam uma grave infração à Lei de Deus. De todos os flagelos destruidores provocados pelo homem, a guerra é o mais doloroso. Mas, à medida que o homem progride, menos frequentes se tornam os flagelos, por que ele lhe evita as causas.

No livro dos Espíritos pergunta 740. Os flagelos não seriam igualmente provas morais para o homem, pondo-o às voltas com necessidades mais duras?

— Os flagelos são provas que proporcionam ao homem a ocasião de exercitar a inteligência, de mostrar a sua paciência e a sua resignação ante a vontade de Deus, ao mesmo tempo que lhe permitem desenvolver os sentimentos de abnegação, de desinteresse próprio e de amor ao próximo, se ele não for dominado pelo egoísmo.

Também esclarece, a questão 737, Deus permite tais situações para fazer a humanidade “progredir mais depressa”.

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 25/08/16, na rede Espirit Book.