DENOMINAMOS corpo mental a forma pela qual se expressa
o espírito imortal, o eu profundo ou o psiquismo puro, em
dimensão superior àquela em que se manifesta o psicossoma.

É o corpo ou veículo superior de que se reveste a
individualidade eterna e onde se processa o raciocínio puro,
elaborado, e de onde procede igualmente a formação dos
outros corpos inferiores, através dos quais se manifesta o
espírito no mundo das formas.

O corpo mental é a fonte de toda manifestação intelectual
do espírito. Os fenômenos da memória, do intelecto
e da cognição são aí elaborados pelo espírito, com vistas à
manifestação fenomênica no universo, pelos outros corpos
de que se reveste. Nesse corpo ou dimensionalidade
em que se manifesta o eu mais profundo — ou a psique de
certas escolas filosóficas ou científicas — são elaboradas as
percepções objetivas ou as idéias abstratas, as sínteses e as
elucubrações filosóficas do ser eterno.

É na dimensão mental que são registradas as impressões
captadas pelo psicossoma e enviadas à intimidade do
espírito, ou do espírito para o exterior, impressões essas
que se transformam em impulsos elétricos e magnéticos
no sistema nervoso.

Enquanto o psicossoma ou perispírito trabalha na área
das sensações, das emoções e dos desejos, desenvolvendo
a sensibilidade, a plasticidade e outras condições essenciais
ao corpo espiritual, o corpo mental reflete atributos mais
sutis e elevados do espírito.

Sua estrutura íntima é de natureza vibrátil muito superior
à do perispírito, embora suas energias sejam de característica
magnética, variando sua freqüência vibracional de
acordo com a natureza do pensamento, emitido de forma
mais ou menos constante. De certo modo, convencionou-se
que o ser humano tem elaborado um pensamento contínuo,
enquanto a pesquisa em torno da dimensão mental poderá
indicar que existem, ainda, hiatos na suposta continuidade
do pensamento humano, como na maioria das criaturas,
embora esses hiatos não sejam facilmente perceptíveis por
meus irmãos.

Para se ter uma idéia da freqüência vibratória dessa dimensão
mental — em que age o corpo de mesmo nome —,
podemos tomar como exemplo a emissão de pensamentos
elevados, de freqüência vibratória mais alta, que faz com que
os átomos mentais ou a matéria psi, (1) (ler esclarecimento fim de texto) como foi classificada por meus irmãos encarnados, irradiem-se em freqüências e faixas cada vez mais altas, conforme a harmonia da fonte pensadora.

Tais irradiações do ultracampo mental, ou dos átomos de matéria mental, são portadoras de radiações benéficas, construtivas, de cor, forma e cheiro específicos.

Por outro lado, quando o pensamento é de natureza energética
grosseira, inferior, portador de ódio, inveja, ciúme ou qualquer outra freqüência inferior, a energia dos átomos mentais, desse ultracampo de manifestação do psiquismo, reveste-se de matéria ou massa dos planos inferiores e cai em vibração, alcançando a aura de quantos se afinizem com o energismo grosseiro.

Dessa maneira, o potencial mental de qualquer ser encontra-
se intimamente relacionado à qualidade da fonte pensante, sendo impossível dissociar a questão moral do potencial mental, no que se refere à ascese do espírito no universo.

Portanto, torna-se fácil compreender o porquê de Jesus haver recomendado a higiene mental, pelo cultivo de bons pensamentos e atos dignificantes.

O Evangelho, sempre atual, é um tratado de mentalismo energético para todas as criaturas.

A dimensão (2) (ler esclarecimento fim de texto) onde tem a sua existência o corpo mental está além dos limites espaço-temporais ou mesmo daquilo que meus irmãos encarnados tão comumente descrevem como sendo as três dimensões.

Os sensitivos de todas as épocas que puderam vislumbrar algo dos registros akásicos ou akáshicos (3) (Ler esclrecimento fim de texto) — os registros de acontecimentos, forjados na própria luz, no éter cósmico — transpuseram os limites vibratórios das dimensões e, desenvolvendo o corpo mental, puderam ter acesso às impressões, às memórias de todas as coisas, dos acontecimentos.

Nesse mecanismo estão baseadas as revelações proféticas de todas as épocas.

Para a manifestação do espírito imortal, existem ainda
outros corpos além do corpo ou dimensão mental, os quais
já foram classificados por meus irmãos de outras escolas espiritualistas e filosóficas, que os denominam de setenário, em
sua totalidade.

Sem dúvida merecem ser mais pesquisados por aqueles que querem estudar pormenorizadamente essas questões, evitando-se, no entanto, as complicações comuns a certos estudiosos.

Enquanto permanecem meus irmãos no estudo dos fenômenos
que têm o perispírito como princípio básico de suas
realizações, nós, os desencarnados de minha esfera, estamos
estudando igualmente outros campos vibratórios, outras estruturas magnéticas em conjunto com a realidade do corpo
espiritual, com vistas a auxiliar meus irmãos.

Mesmo para nós, espíritos, permanecem ainda muitas incógnitas a serem decifradas através do estudo constante da ciência universal, e muitos problemas a serem equacionados no grande laboratório vivo do cosmos.

l.Se o corpo físico é uma cópia do corpo espiritual ou perispírito, então o corpo espiritual seria uma cópia do corpo mental?

O perispírito é o divino modelo pelo qual é plasmado o
corpo somático, que se ajusta à forma preexistente, como
num molde. No entanto, o corpo mental se manifesta, no
plano em que se movimenta, mais ou menos semelhante
à forma ovóide, sem ser apreciável aos sentidos humanos
como parecido com o corpo físico. O corpo mental preside
ao modelo diretor, que é o perispírito. As células astrais
desse corpo espiritual são organizadas de acordo com o
padrão que foi impresso na intimidade do campo mental
pelos prepostos de Jesus, quando a mônada divina alcançou
a iluminação pela razão, nos milênios que presidiram
a evolução do homem, sob o divino impulso do Cristo.

2. O corpo mental possui órgãos?

O corpo mental tem a forma ovóide e não possui órgãos,
como o perispírito ou o corpo físico, sendo que ele é a fonte
sublime de todo o energismo que orienta as manifestações
no mundo das formas. O corpo mental existe e atua em
dimensão diferente daquela em que se expressam os outros
corpos, considerados inferiores; ele pertence ao mundo das
causas, e não à esfera onde se expressa a forma.

3. Ocorpo mental pode ser dissociado do perispírito, como este pode ser dissociado do corpo físico, para efeito de estudos?

O corpo mental só pode se deslocar dos limites magnéticos
do corpo perispiritual naqueles que alcançaram determinada
evolução consciencial, pois que nem todos têm ao
menos consciência de sua existência ou dos mecanismos
através dos quais se manifesta. Os profetas antigos, alguns
iniciados e médiuns encarnados têm conseguido, em determinadas condições, projetar-se mentalmente em outras
dimensões ou planos existenciais onde possam se movimentar
em corpo mental, livres de quaisquer limitações
da forma, num plano de idéias e pensamentos abstratos
ou concretos, mas sob o domínio do corpo mental.

O desencarnado, quando alcança certo esclarecimento, ou
quando necessita de aprendizado em planos superiores
ao que se encontra, muitas vezes é desdobrado em corpo
mental, deixando o seu perispírito e projetando-se além,
em outros campos vibratórios, (4) (ler esclarecimento fim de texto) retomando-o depois, como acontece com meus irmãos durante o sono físico e após, ao retomar o veículo denso da carne. Outros casos existem, mas que fogem ao objetivo da obra e não atendem à necessidade da pergunta de meus irmãos.

(Notas esclarecimento fim de texto)

(1) Matéria psi é a denominação dada para a substância que forma os objetos e seres da dimensão extrafísica. Dessa forma, pode-se entender que pensamento é matéria, formado por partículas com características próprias.)

(2 Tradições ocultistas e esoteristas possuem vastos estudos sobre a classificação do universo em dimensões ou “mundos”, em geral apontados como sendo sete. O termo dimensão, aqui, não é empregado no sentido matemático nem físico. Por exemplo: pode-se localizar a posição de um objeto no espaço tridimensional (largura, comprimento e altura) e indicar
o instante correspondente. Desse ponto de vista, o tempo é uma quarta “dimensão”.

Nos estudos da ciência espiritual, o termo dimensão é empregado no sentido de lugar, mundo, universo paralelo. Estudos rosacrucianos indicam que cada mundo tem uma “medida” diferente, relacionada à sua vibração. No mundo mais denso (o físico), a vibração é diminuta quando comparada à rapidíssima vibração do mundo astral, o mais próximo do físico.

Além disso, explicam que “estes mundos não estão separados pelo espaço ou pela distância, como está a Terra dos demais planetas. São estados de matéria, de distinta densidade e vibração, tal como são os sólidos, os líquidos e os gases do nosso mundo físico”. Eles se interpenetram.

Os estudiosos dos ensinamentos da Grande Fraternidade Branca, por exemplo, dividem essas sete dimensões da realidade em: 1) plano físico; 2) plano astral; 3) plano mental; 4) plano búdico; 5) plano átmico; 6) plano monádico; 7) plano logóico.)

(3 Akasha (pronuncia-se akásha), palavra sánscrita, de género masculino, quer dizer espaço, éter. Os registros akáshicos
são os registros da vida impressos no plano etérico; o livro da vida.)

(4 Uma das passagens mais consagradas na literatura espírita que atestam a existência do corpo mental encontra-se em Nosso lar, de Chico Xavier pelo espírito André Luiz (cap. 3 6 : 0 sonho). O texto descreve o momento em que o protagonista-narrador, um desencarnado, necessita entrar em estado de relaxamento e conseqüente desdobramento para que
possa rever sua mãe, mesmo estando ambos na dimensão extrafisica. Isso ocorre porque ela habitava região bem superior à dele, ou seja, achava-se em vibração compatível com o corpo mental do filho, e não com seu perispírito.)

Do Livro – Medicina da Alma, psicografia de Robson Pinheiro, ditado pelo espírito Joseph Gleber, cap.7 “Corpo Mental”

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 04/03/19, na Rede Espirit Book.