Os filhos, porém, não são realizações fortuitas, decorrentes de
circunstâncias secundárias, na vida. Procedem de compromissos
aceitos antes da reencarnação pelos futuros progenitores, de modo
a edificarem a família de que necessitam para a própria evolução.
É-lhes lícito adiar a recepção de Espíritos que lhes são vinculados,
impossibilitando mesmo que se reencarnem por seu intermédio.
Ilusao porém, porqüanto as Soberanas Leis da Vida dispõem
de meios para fazer que aqueles rejeitados venham por outros
processos à porta dos seus devedores ou credores, em
circunstâncias quiçá mui dolorosas, complicadas pela
irresponsabilidade desses cônjuges que ajam com leviandade, em
flagrante desconsideração aos códigos divinos.

Joanna de Ângelis
SOS Família

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 21/09/19, na Rede Espirit Book.