Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Suportar, não meramente tolerar ou “aguentar”, mas sustentar com amor. (Paulo de Tarso)
Irmãos,
De certo que há indagações profundas ao Senhor diante as adversidades planetárias em que nem tudo que brilha traduz o verdadeiro valor de uma alma.

 

Vive-se no globo uma convergência de entendimento como e qual seria o verdadeiro sentido da evolução e prosperidade perante o Criador, há os que creditam que a virtude estará no acumulo de bens materiais e outros que compreendem que a verdadeira riqueza esta no quilate que habita na alma, em que a sua cotação se eleva com a maturidade da oferta silente da caridade em toda sua interpretação.
A caridade deve ser silenciosa e eficaz, e não o pódio a afagar o ego da vaidade e os costumes a ser aplaudido publicamente, deve ela ser neutra e personalíssima em sua oferta a serviço de todos como bom exemplo a tornar a pratica uma corrente solidaria.
O humanismo diante o universo de Deus passa pelo profundo entendimento ao próximo a começar pela compreensão das fraquezas, das misérias e das debilidades que de alguma forma possa compor o caráter deste espírito doente e que é digno da mesma oportunidade ao arrependimento, a edificação e a salvação e o que necessitará dos médicos da alma preparados a sanar as chagas profundas.
O médico da alma é aquele formado na universalidade do evangelho em Cristo e que se habilita a cuidar das condolências alheias. E saibam que, todos nós podemos se tornar médicos de alma, para isto há de se aprofundar no evangelho colocando em pratica a única matéria que compõe todo o livro sagrado a ser praticado por todos, ou seja, o amor.
E é neste mergulhar a razão de continuarmos a evoluir e salvar almas doentes através da oração, do perdão, da compreensão e o mais sagrado amor que nos envolve na fraternidade universal onde todos são iguais e necessitam das mesmas oportunidades a salvação, e evidente que cada um traz em seu espírito o seu peculiar prontuário ao qual há de ser curado passando pelas cirurgias a extirpar toda moléstia que adoece o espírito e o impede de viver a plenitude da paz e da felicidade profunda da alma.
Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.
Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 19/05/16, na rede Espirit Book

Posts Relacionados