Assistam novamente ao vídeo de tão sinistra figura:

https://www.youtube.com/watch?v=gX4uWCQjZ9

Apóa colar o link,  acrescente U

Se alguém duvida que Janaína Paschoal, famosa por pedir o impeachment, apresenta traços histéricos,

acesse o vídeo do seu discurso na USP no qual ela promete “libertar o país do cativeiro de almas e mentes” (escreva no Google “acabou a república da cobra”). É provável surgir uma nova dúvida: será histérica ou insana?

                Não defendo a presidente nem o PT, apenas mostro os personagens da tragicomédia, Janaína é “peixinho” de Miguel Reale Jr., ex-ministro da Justiça de Fernando Henrique e orientador da tese de doutoramento da moça.

                Até aí, dentro da geleia real brasileira. O espantoso é que no vídeo em que Janaína grita, esbraveja, chacoalha uma bandeira (?) sobre a cabeça e dança como uma pomba-gira (insisto, vejam o vídeo), tem ao seu lado o provecto Hélio Bicudo, fundador do PT, aplaudindo cada lance da encenação.

                É sabido que Reale Jr. e sua aluna não teriam respaldo moral para pedirem o impeachment. Precisaram de Hélio Bicudo, um dos que lutaram contra a tortura policial na ditadura, inclusive enfrentando o pai de Reale Jr., Miguel Reale, que era o secretário da Segurança em S. Paulo e reitor da USP que, a mando dos militares impôs o Regimento Disciplinar de 1972, proibindo manifestações universitárias.

                Para quem viveu a história e sabe quem foi Miguel Reale, filósofo do integralismo (há fotos dele com a farda fascista) e um dos ideólogos da ditadura, é triste ver Hélio Bicudo aplaudir com um sorriso beato a moça que dá um espetáculo entre a histeria e a insanidade.

                Espero não ter ofendido os umbandistas com a comparação de Janaína à pomba-gira. Saravá.

Júlio Chiavenato 
Ribeirão Preto, 08/05/16 
chiavenato@jornalacidade.com.br

Nosso comentário: só tenho que agradecer-lhe caro Chiavenato por tão “sublime” episódio, que irei reproduzir no meu blog: www.albertomacorano.com.br, para que se torne visível pelo maior número de pessoas, que apesar das evidências de insanidade mental de alguém que se intitula de Juíza e faz parte do Supremo Tribunal Federal deste caótico Brasil, ainda terá os seus fiéis e fanáticos seguidores.

                Ela não tem culpa, bem como todos os corruptos que campeiam pela politicanalha deste grandioso país, mas os eleitores que votam sem qualquer responsabilidade. Veja-se o caso do palhaço Tiririca. Não é só ela, não. Tem outros colegas no mais responsável órgão judiciário do país, que em vez de estarem ao serviço da república, defendem os interesses espúrios da politicanalha brasileira, que tem como expoente maior um tal que se chama Gilmar Mendes, que eles, sim, esgotam os parcos recursos dos cofres públicos com as suas mordomias e salários que nem nos Estados Unidos, expoente maior do capitalismo usufruem, e ao seu lado vegeta o povo miserável que mal sobrevive e muitos passam fome por esse Brasil de contrastes singulares.

Mais comentários, para quê? Não foi por esses ideais que metade da população brasileira obstruiu o governo desde que foi legitimamente eleito? Então têm, simplesmente, aquilo que merecem. Só um porém, caro Chiavenato, eu retifiquei, não é a república das cobras, como você mencionou, mas sim “acabou a república da cobra”. Custa a acreditar que um país como o Brasil seja dirigido por mentes insanas. E ainda se admiram que seja conhecido no exterior por “república das bananas”. Que mais poderia ser?

Talvez, para uns seja engraçado, mas, para pessoas equilibradas, não existem argumentos…

Alberto Maçorano