O apresentador Gugu Liberato morreu nesta sexta-feira, 22, aos 60 anos, em Orlando, na Flórida, onde tinha uma residência. Ele havia sido internado em um hospital após sofrer um acidente na casa onde mora. Segundo comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa, Gugu sofreu o acidente na quarta-feira, 20. Ainda não há informações sobre o traslado do corpo para o Brasil, tampouco sobre velório e sepultamento.

Ele caiu de uma altura de quatro metros quando fazia um reparo no ar-condicionado no sótão da casa. De acordo com a nota, foi prontamente socorrido por uma equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center. 

A nota diz ainda que Gugu deu entrada no hospital com um nível de consciência 3, estabelecido pela escala de coma de Glasgow (usada para medir o efeito das lesões celebrais), que vai até 6.

Os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. “Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral”, observa o texto.

A morte encefálica foi confirmada pelo Professor Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante da mãe do apresentador Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

O apresentador deixa a esposa e três filhos, João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sophia, de 15.

A carreira de Gugu Liberato

Discípulo de Silvio Santos, com quem trabalhou pela primeira vez ainda nos anos 1970, Gugu marcou época na TV brasileira à frente de programas como Viva a Noite (SBT), Sabadão (SBT), Domingo Legal (SBT) e o Programa do Gugu (RecordTV). Atualmente, ele era o apresentador do reality show Canta Comigo, também na Record.

Em 1988, com cada vez mais destaque no SBT, Gugu chegou a assinar contrato para apresentar um novo programa na Rede Globo, mas Silvio Santos foi pessoalmente ao dono da emissora, Roberto Marinho, pedir a rescisão do acordo para que Gugu continuasse no SBT – o que acabou ocorrendo. Quem entrou em seu lugar na emissora carioca foi Fausto Silva.

Especialmente com o Domingo Legal, Gugu foi líder de audiência nas tardes de domingo entre o fim dos anos 1990 e 2003, vencendo o Domingão do Faustão e provocando mudanças na linha editorial do programa global, que deixou de exibir quadros como o “sushi erótico”.

A Justiça também entrou no caminho do Domingo Legal em alguns momentos. Em 2000, proibiu a exibição da “Banheira do Gugu” (quadro em que homens e mulheres seminus brigavam para alcançar um sabonete em uma pequena piscina molhada) antes das 21h. (os advogados do programa recorreram, mas o horário acabou mudando de qualquer forma).

Foi também nessa época que o programa começou a investir mais em reportagens jornalísticas, o que consolidou sua liderança nos domingos no início do século. Mas o investimento gerou outro problema com a Justiça.

No dia 7 de setembro de 2003, o Domingo Legal exibiu uma “entrevista” com dois membros do PCC a bordo de um ônibus na capital paulista. Porém, após investigação, a polícia descobriu que a entrevista era falsa. Os responsáveis pela investigação disseram na época que os encapuzados entrevistados não eram integrantes da facção criminosa e receberam R$ 500 cada um para participar do programa. O programa foi proibido pela Justiça Federal de ser exibido no dia 21 de setembro.

O apresentador foi denunciado por crime de ameaça e por dois crimes de imprensa pelo Ministério Público de São Paulo. A Justiça autorizou um indiciamento, mas uma liminar o impediu. O SBT acabou multado em R$ 1,7 milhão (valores da época). Naquele ano, o SBT registrou um prejuízo de R$ 33,6 milhões. Gugu fez um acordo financeiro de R$ 750 mil em 2005 para encerrar o processo.

Gugu também apareceu diversas vezes nos cinemas, principalmente em filmes da Xuxa e dos Trapalhões, como em O Casamento dos Trapalhões (1988) e Xuxa e os Duendes (2001). O apresentador também gravou alguns compactos (discos de vinil com uma música de cada lado). Baile dos Passarinhos Docinho Docinho fizeram sucesso. Ele também chegou a fazer campanhas políticas para José Serra, do PSDB, nos anos 1990 e 2000.

Em 2009, ele saiu do SBT e foi para a Record TV (os números não oficiais estimavam que ele levaria R$ 3 milhões mensais). Em entrevista ao Jornal da Tarde no dia 30 de agosto de 2009, Gugu explicou sua mudança de emissora: “Minha decisão de ir para a Record foi baseada na oportunidade de trabalho que eles me ofereceram. O contrato envolve um plano de carreira promissor, ótimas oportunidades e condições de produção. Foram várias situações. Um plano de carreira, um contrato de oito anos, que não é comum na televisão, toda a estrutura de jornalismo oferecida, a cobertura internacional que teremos e o talk-show que vou fazer, inicialmente uma vez a por semana, na Record News. O próprio Silvio Santos me disse que se tratava de uma proposta irrecusável”.

Gugu havia renovado o contrato com a emissora por mais três anos no início de 2019. “Estou muito feliz em comunicar que hoje renovei meu contrato com a Record TV. Agradeço a confiança de todos, especialmente do vice-presidente artístico e de programação, sr. Marcelo Silva”, escreveu Gugu em seu Instagram na ocasião.

Outra mudança de contrato ficou na história do apresentador. Com cada vez mais destaque no SBT, em 1988 ele chegou a assinar contrato com a Globo, mas Silvio Santos foi pessoalmente ao dono da emissora, Roberto Marinho, pedir a rescisão do acordo para que Gugu continuasse no SBT. Quem entrou em seu lugar foi Fausto Silva.

A notícia da morte de Gugu

A quinta, 21, já havia sido tensa para sua família, colegas, fãs de TV e admiradores do apresentador.

A mãe de Gugu, Maria do Céu, embarcou em um avião às 10h de quinta-feira em direção a Orlando, e a orientação foi aguardar o comunicado oficial, finalmente marcado para as 21h. A nota informou que Gugu estava Unidade de Terapia Intensiva e vivo, sendo acompanhado pela equipe médica local.

No início de novembro, Gugu teve de usar as redes sociais para desmentir um boato sobre a própria morte. A página oficial do seu programa Power Couple Brasil no Instagram fez uma publicação falando que o apresentador havia morrido por conta de um enfarte.

Mas, na verdade, a conta do reality show havia sido invadida por hackers. “Pessoal, alguém publicou que eu tive um enfarte. É fake, tá? Estou muito bem, obrigado”, escreveu Gugu na página oficial dele no Twitter no dia 4 de novembro.

Veja a íntegra da nota emitida pela família de Gugu Liberato:

“NOTA DE FALECIMENTO

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de *Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.

Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.

Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.

Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças – que são muitas – e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz. 

Familiares e funcionários

São Paulo, 22 de novembro de 2019

* Escala Glasgow de 3 – usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente.”

Nosso comentário: devido à transcendência da pessoa em causa, resolvemos postar esta informação e fazer um pequeno reparo. Não pretendemos de maneira alguma julgar a pessoa em causa, mas, tão somente darmos a nossa opinião sobre a mudança brusca de Gugu para a Record. Costuma-se dizer que nada acontece por acaso. Não sabemos concretamente se esse acontecimento estava programadao na sua trajetória espiritual. Contudo aqui vai a nossa observação particular sobre a mudança que Gugu fez.

Segunda a nossa ótica e sobre o que sabemos da trajetória de vida de Gugu, achamos que ele se precipitou sobre a ida para a Record. Gugu devia toda a sua ascenção na TV, toda a sua projeção e pujança, ao SBT, e em particular ao próprio Sílvio Santos.

Ele tinha uma tremenda dívida de gratidão ao SBT e a Sílvio Santos. E o que aconteceu? Trocou essa gratidão pela extrema ganância, como se o que ganhava no SBT não lhe fosse suficiente para levar uma vida de privilegiado. A Ambição falou muito alto. E o que aconteceu? Após algum tempo de impacto que deu sequência à projeção da sua imagem, acabou se dissipando com o tempo. Posteriormente a Recor fez uma rescisão do contrato. Houve acordos de bastidores e alguns anos depois voltaram a entender-se e retomou à Record.

Concluindo: ficou extremamente rico e a sua projeção na TV foi-se diluindo até completa penumbra. A juventude de hoje não conhece Gugu Liberato. Então, em resumo, se Gugu não tivesse saído do SBT a sua projeção teria sido incomparável e estaria ainda hoje concorrendo e talvez vencendo o seu grande rival Faustão. E como desfecho, é muito provável que esse incidente não tivesse acontecido.

Aonde queremos chegar? Que por vezes o “crime não compensa”… Para quê tanta dinheirama se profissionalmente a sua projeção se diluiu com o tempo? Será que não o acompanhou o sentimento de consciência de ter trocado o SBT pela Record?

Particularmente achamos que foi uma grande ingratidão para com o SBT e o Sílvio Santos que dinheiro algum deveria ter interferido.

Somos e seremos sempre os autores do nosso próprio destino.

Alberto Maçorano