A Secretaria de Governo negou nesta 6ª feira (25.abr.2019) que as propagandas de estatais terão que ser aprovadas previamente pela Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência).

As empresas estatais receberam e-mail da Secretaria de Comunicação anunciando que todas as propagandas precisavam ser aprovadas antes da divulgação.

“A Secom, ao emitir o e-mail veiculado, não observou a Lei das Estatais, pois não cabe à Administração Direta intervir no conteúdo da publicidade estritamente mercadológica das empresas estatais”, diz o comunicado da Secretaria de Governo.

A Secom é subordinada à pasta comandada por Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Somente comerciais institucionais precisavam do aval da Presidência da República. As peças referentes às estatais comumente necessitam só da aprovação das empresas.

Propaganda do BB

O presidente Jair Bolsonaro vetou 1 comercial do Banco do Brasil que exaltava jovens e minorias. Além disso, o responsável pela peça, Delano Valentim, perdeu o cargo de diretor de Comunicação e Marketing do BB.

O jornal digital apurou que a peça foi ao ar no dia 1º de abril deste ano e foi retirada no dia 14 de abril. Produzida pela agência WMcCann, teve 1 custo no valor total de R$ 17 milhões, segundo a assessoria do Banco do Brasil.

Questionado pelo Poder360 sobre o motivo da peça ser vetada, o Palácio do Planalto disse que não irá se pronunciar sobre o assunto. Já o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, disse que a decisão foi em “consenso”.

“O presidente e eu concordamos que o filme deveria ser recolhido. Saída do diretor de Marketing em decisão de consenso –inclusive com aceitação do próprio”, disse.

O comercial, que divulga o aplicativo do banco e visa a atrair o público jovem, tem na maior parte das cenas atores e atrizes negros. É parte da política do BB de fazer um apelo a esse grupo demográfico.

Segundo a assessoria do banco, a peça foi ao ar sem passar pela avaliação de Rubem Novaes. Posteriormente, ao ver o vídeo, o presidente do banco não teria gostado da mensagem que o vídeo passava. Para ele, a ideia seria mostrar jovens trabalhadores.

 

Nosso comentário: depois da tempestade vem a bonança… Como alguém pode dizer hoje uma coisa e amanhã dizer o contrário? Depois de ver a bunda arder retrocede… Como pode?

Alberto Maçorano