“O tempo marcha a ré”, era um antigo programa de rádio que lembrava os acontecimentos do passado. Ontem vimos nos jornais uma homenagem aos velhos tempos. João Dória, prefeito eleito de São Paulo, apareceu nos jornais fazendo embaixadinhas com uma bola de futebol, no estilo do ditador Garrastazu Médici. Como se sabe, o Brasil foi tricampeão mundial em 1970, quando a ditadura matava e desaparecia quem era do contra. Com o tricampeonato o povo desviou o olhar e festejou a façanha com o general. O povo afundava e poucos percebiam.

                Nada de comparar o engomadinho Dória a Médici. Mesmo porque a realidade é outra e hoje os donos da grana manipulam a democracia e vencem com votos, não precisam eliminar adversários. Aliás, há formas de eliminação mais sutis e aplaudidas pela plateia.

                Porém, nos todavias e apesar dos contudos, há a convicção de que Dória é um homem culto, protetor das artes e muito bem formado intelectualmente. Um chato perguntaria: por quê? A resposta é simples: ele fala bem. No Brasil quem se expressa bem é tido como culto, não importa se é um imbecil com a cabeça vazia. Basta ter os bolsos cheios.

                Em Ribeirão Preto o “falar bem” foi a desgraça da cidade. Welson Gasparini, por exemplo, fala muito bem. Será que ele já disse alguma coisa? A alcaidessa Dárcy Vera é outra que fala bem. Ela explicou muito bem que Tiradentes gritou independência ou morte no 7 de Setembro. Ouçam o áudio no Google e confiram como ela falou tão bem as besteiras que disse.

                Mas todos estão absolvidos, pois mestre Rosa aconselhava a falar besteiras para não calar bobagens.

Júlio Chiavenato  
Ribeirão Preto, 20/10/16 
chiavenato@jornalacidade.com.br

Nosso comentário: e assim vai o nosso Brasil, por enquanto, não é mesmo caro Chiavenato? Embora a Lava Jato da vida e a Sevandija, ainda não será agora que tudo vai mudar para o certo. O “vírus” da corrupção está tão enraizado no DNA da politicanagem brasileira que serão necessários mais uns quinhentos anos para eliminá-lo.

                Todavia, nos contudos deste país, já é uma iniciativa de aplaudir, embora a abertura total por parte do PT seja escamoteada, foi só nestes governos que se descobriram as máfias já enraizadas há muitas dezenas de anos.

Não obstante, essas operações louváveis, começam agora a tomar caminhos tortuosos, com desvios comprometedores, protelando ainda mais a limpeza que se desejaria já.

                Parabéns, uma vez mais, pela sua oportuna sutileza.

Alberto Maçorano