A Câmara dos Deputados desembolsou nesta sexta-feira (28) R$ 17.050.315,00 para pagar antecipado o 14º salário aos deputados. O benefício, que estava previsto para cair na conta em janeiro, é uma repaginação da regalia conhecida como “auxílio paletó”, que foi extinta em fevereiro de 2013.

Com isso, os deputados e senadores tem direito a uma parcela extra do mesmo valor do salário de R$ 33.763,00 para custear a mudança no fim de seu mandato. O parlamentar reeleito pode receber duas vezes, configurando então 14º e 15º salário. A ajuda de custo paga aos deputados no início do mandato está prevista para cair na conta em fevereiro de 2019.

A diferença entre o benefício que foi extinto e o que foi reconfigurado é a periodicidade. A norma revogada previa o pagamento do auxílio paletó no início e no fim de cada sessão legislativa ordinária – ou seja, anualmente. Na nova configuração, ele é pago no início e no fim de cada legislatura, a cada 4 anos.

Até o momento, pelo menos 5 parlamentares abriram mão do benefício. O deputado Fábio Trad (PSD-MS), que pediu estorno do depósito, afirmou ao HuffPost Brasil que ficou impressionado quando soube que os parlamentares teriam direito a essa ajuda.

“Eu imaginava que, com a extinção do 14º e 15º salário, não mais fosse possível qualquer tipo de auxílio ou ajuda de custo para esse fim.”

Além dele, Major Olímpio (PSL-SP), Mara Gabrilli (PSDB-SP), Elvino Bohn Gass (PT-RS) e Heitor Schuch (PSB-RS) renunciaram à ajuda. Mesmo os parlamentares que moram em Brasília recebem o benefício.

Ao HuffPost Brasil, a Câmara dos Deputados informou que “está reavaliando os critérios de concessão da ajuda de custo, a fim de torná-los mais claros e restritivos”.

 

Nosso comentário: alguém de boa fé pode acreditar que o Brasil vai mudar, que o Brasil tem jeito, que o Brasil vai melhorar, com este absurdo e medonho desequilíbrio social? Independentemente do nome presidenciável, independente do partido que governe, jamais o Brasil poderá ser considerado um país sério, um país com moral e ética, enquanto perdurar este câncer que está acabando com a saúde do povo brasileiro.

Quer dizer, o Lula que nunca roubou ninguém, ao contrário do que dizem os fanáticos e preconceituosos de toda a ordem, é considerado ladrão, esta corja que rouba o erário público descaradamente, não são ladrões, coitados, trabalham que nem uns desalmados de sol a sol, têm que ganhar muito bem…

É uma afronta, uma autêntica vergonha à miserabilidade do Brasil a dinheirama e as mordomias que essa corja política e governamental saca dos cofres públicos todo o mês. Isso é que pode ser considerado um ROUBO autêntico, uma exploração violenta do povo brasileiro. Precisa haver uma revolução social autêntica do povo brasileiro, comandada pelo próprio povo e não o povo ser comandado pelas elites, à imagem da tomada da Bastilha na França. 

Enquanto não acabarem essas mordomias, enquanto não acabarem esses salarios afrontosos, o Brasil não sairá da estaca zero em que se encontra, sejam quais forem os seus comandantes. Por acaso já ouviu o Bolsonaro dizer que vai rebaixar os salários de todo o mundo, inclusive os dele? Já ouviu o Bolsonaro dizer que vão acabar as mordomias desses subsídios afrontosos, carros, motoristas e um mundo de mordomias sem fim? Eu ainda não ouvi em irei ouvir. Mas já ouvi dizer que vai cortar na educação, na saúde, que vai acabar com o Senai o Senac, e etc. Assim não dá, naõ e, senhor Bolsonaro?

Então não sejamos hipócritas, enquanto persistir essa discrepância social, não haja ilusões, o Brasil vai continuar na mesmice…

Alberto Maçorano