O presidente eleito Jair Bolsonaro fez um post em seu perfil no Twitter, nesta segunda-feira (31), em que afirma que a solução para melhorar a educação no Brasil é combater o que ele chama de “lixo marxista”, 

que teria, segundo Bolsonaro, se instalado nas instituições de ensino. Para o presidente eleito, o Brasil tem de ‘formar cidadãos’, ‘e não mais militantes políticos’.

Uma das principais bandeiras da campanha do futuro presidente é o projeto denominado de Escola sem Partido, que deve avançar no Congresso em 2019.

Responsáveis pela posse dizem que a ‘festa está pronta e será segura’

O projeto de lei prevê a proibição do que chama de “prática de doutrinação política e ideológica” pelos professores em sala de aula, além de vetar atividades e a veiculação de conteúdos que não estejam de acordo com as convicções morais e religiosas dos pais do estudante.

Os defensores do Escola sem Partido defendem que alguns temas não devem ser abordados em sala. Já os críticos afirmam tratar-se de um mecanismo de censura e intimidação.

Nosso comentário: é triste, lamentável, censurável e condenável, ouvir a fala de um presidente que se diz democrata e governar para todos os brasileiros, proferir este tipo de frase discriminatória, e defender a tal “escola sem partido”… que nada mais é do que um mecanismo de censura e intimidação.

Simplesmente resquícios inquisitoriais e ditatoriais.

Isto é e a evolução do senhor Bolsonaro…

É assim que pretende melhorar o Brasil?

Vamos aguardar.

Sem mais comentários.

Alberto Maçorano

Posts Relacionados