“Um homem estava passando por uma fase de muito sofrimento.

Chorava quase o dia inteiro…

Certa vez, estava tentando dormir a noite, e começou a sentir-se muito mal.Percebeu que havia dezenas de espíritos sombrios que o atacavam e transmitiam muitas energias negativas.

 Muitos pensamentos ruins, de morte, destruição e sofrimento começaram a atravessar sua mente.

Lembrou-se de terríveis traumas da infância, e tudo isso parecia se intensificar em fortes emoções negativas.

O homem começou então a mandar aquelas entidades embora, com muita firmeza, dizendo:

– Vão embora daqui! Aqui não é o lugar de vocês!

Começou também a ofender aquelas entidades, e sentir ódio de todas elas.

Quanto mais ele se opunha a elas com um tom emocional de raiva, mais elas o atacavam e sugavam a sua energia.

O homem começou a sentir-se meio tonto, de tão mal que estava passando.

Começou a ter pensamentos suicidas e pensou seriamente em pegar uma faca e dar cabo de sua vida.

No meio do caos e da confusão mental de trevas que ele se encontrava, lhe veio um pensamento bem leve.

Ele resolveu seguir este conselho que lhe chegou.

Iniciou então uma oração, com muita fé, dirigida a Deus.

Colocou todo o seu coração, mente e alma naquela prece e sintonizou-se com Deus.

Entregou-se ao plano divino naquele instante.

Proferiu também as palavras “Ainda que eu ande pelo vale da sombra e da morte, não temerei nenhum mal, pois estais comigo, Senhor”.

Fez várias preces com muita fé e colocou-se nas mãos de Deus.

Depois de um tempo, sentiu que todo o clima do ambiente começou a mudar.

Estava mais tranquilo, fisicamente também se sentia melhor, a tontura passou, as emoções ruins foram aliviadas, e começou a sentir-se bem e relaxado.

Percebeu que os espíritos foram se retirando, até que deixaram totalmente sua residência.

O homem então viu que toda aquela situação havia passado, e agradeceu a Deus pela mensagem que havia recebido antes de iniciar a oração.

A mensagem dizia:

“Não brigue com a escuridão. Acenda uma luz… e todas as trevas se dissipam!”

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 13/09/18, na Rede Espirit Book.