Quando encarnamos é como se entrássemos num palco para interpretar um papel. E quando desencarnamos é como se a cortina fechasse e a interpretação terminou. 

Daí, retornamos ao plano espiritual de onde viemos, para nos preparar para um novo retorno e uma nova interpretação. E nesta nova interpretação poderemos trocar de raça, posição social, nacionalidade, orientação sexual, etc.
As pessoas que se acham ofendidas ao ver um homossexual precisam entender que, mesmo que não seja a regra determinante da orientação sexual, nós podemos, por exemplo, encarnar num corpo masculino, trazendo na lembrança espiritual, as sensações, os desejos, os costumes de quando usávamos um corpo feminino. E assim acontece o contrário também. Ou podemos, simplesmente, ser hétero numa encarnação e gay em outra. Tudo depende do seu planejamento reencarnatório.

O grande problema é o preconceito religioso que diz que Deus é contra a homossexualidade.
AFINAL, DEUS É CONTRA OU A FAVOR? Deus não é contra nada. Ele entende que estamos em evolução e, consequentemente, aprendizado. Podemos dizer apenas que Ele é a favor do livre arbítrio. Então, deixem que cada um use seu livre arbítrio e preste contas de seus atos com a lei Dele. A nós cabe apenas perguntar: SERÁ QUE MEUS ATOS AGRADAM DEUS? Afinal, vemos tantas pessoas contrariando a BÍBLIA e nem por isso são perseguidos como os homossexuais. Moisés escreveu leis para conter os abusos do povo da época e uma delas proíbe a homossexualidade (Levítico, 20:13), mas também escreveu outras leis. EXEMPLO: Quem trabalha no sábado será morto (Êxodo, 35:2), filhos desobedientes e rebeldes, que não ouçam pais e se comprometam no vício, serão apedrejados até a morte (Deuteronômio, 21: 18-21), É proibido comer carne de porco, lebre ou coelho (Levítico, 11: 5-7), Deficientes físicos estão proibidos de aproximar-se do altar do culto, para não profaná-lo com seu defeito (Levítico, 21: 17-23), Os adúlteros serão apedrejados até a morte (Deuteronômio, 22: 22), etc. Quem segue estas leis? Creio que ninguém, não é? Até porque, Jesus veio para mostrar que a lei que devemos seguir são os 10 mandamentos. Estes sim são leis de Deus recebidas por Moisés.
Então, chega de preconceito!
Preconceito gera violência.
Muitas pessoas não estão defendendo a Bíblia, estão defendendo seu PRECONCEITO.
Sigamos o novo testamento. 

Amemos o próximo como ele é e como Jesus nos amou e ama.

Adaptação Meu Livro Espírita | Texto de Rudymara | 
Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 03/06/17, na Rede Espirit Book.
Nosso comentário: concordo plenamente que não deva haver preconceito de natureza alguma, inclusive, a sexualidade. Todavia, não concordo de maneira alguma que essa condição seja uma decorrência normal da natureza humana. 
Diz o texto que Deus não é contra a homosexualidade, mas também jamais poderá ser a favor, porque isso é uma aberração da natureza.
Deus criou o macho e a fémea para se amarem e procriarem. Jamais dois seres do mesmo sexo poderão procriar.
Concordo plenamente que essa tendência são reminiscências de vidas passadas relacionadas ao corpo que vestiu esse espírito: masculinas ou femininas. Sabendo isso, a pessoa que tem essa tendência teria que fazer um esforço para se adequar ao corpo que reveste o seu espírito. Só assim o espírito poderá evoluir na sua trajetória existencial.
É muito fácil e cómodo seguir uma tendência gay. Por isso se reveste de uma grande coragem aquele que conseguir ultrapassar essa tendência.
É evidente que estes esclarecimentos só são assimilados por aqueles que conhecem o espiritismo. Por isso a necessidade de conhecer esta doutrina superior e esclarecedora.
Não obstante, aquele que não conseguir contrariar essas tendências, concerteza terá uma caminhada maior no seio da evolução espiritual, mas despidos de qualquer preconceito.
Como agora está na moda não dizer as verdades para não ferir susceptibilidades, quase todo o mundo vai no embalo e defende o princípio do não preconceito subentendendo-se que isso seja uma coisa natural… 
Jamais Deus iria criar duas criaturas do mesmo sexo para se amarem. Isso é a realidade. Doa a quem doer…
Então esse texto não pode evidenciar a visão espírita, mas sim uma opinião pessoal, assim como o meu comentário é a minha opinião pessoal, mas inserido no contexto espírita.
Alberto Maçorano