Você conhece a história do 1° de Maio?

A data é celebrada no mundo todo, mas pouca gente sabe que no século 19 muitos trabalhadores deram a liberdade e até a própria vida para melhorar os direitos da classe operária. Conheça aqui a história do Dia do Trabalho.

Milhões de trabalhadores no mundo inteiro estão nas ruas nesta segunda-feira, 1° de Maio. Mas poucos sabem como esse dia foi instituído e o preço que custou a muitos operários americanos.

Tudo começou em um 1° de maio bem distante, em1886, nos Estados Unidos. Nesta data, 500 mil trabalhadores de Chicago desfilaram pelas ruas a fim de pedir a redução da jornada de trabalho para oito horas. Apesar da marcha ser pacífica, a repressão policial para dispersar os participantes foi violenta. Dezenas de operários morreram e muitos ficaram feridos.

Ao invés de se calar, os sindicatos decidiram enfrentar novamente as autoridades patronais e fardadas. Quatro dias depois, em uma segunda manifestação, voltaram às ruas e receberam o mesmo tratamento violento; quatro trabalhadores morreram e três foram julgados e condenados à prisão perpétua.

Indignação internacional levou a novo julgamento

A injustiça indignou os governos de diversos países estrangeiros e a solidariedade internacional disse presente, pressionando o governo dos Estados Unidos para anular o julgamento. Em 1888, um novo júri decidiu que os trabalhadores eram inocentes e que o o governo americano era o culpado. Os operários foram soltos.

No ano seguinte aconteceu o Congresso Operário Internacional, em Paris, e o 1º de Maio foi decretado o Dia Internacional dos Trabalhadores, simbolizando um dia de luto e de luta. Todo o sacrifício não foi infrutífero: em 1890, quatro anos depois da primeira passeata, os trabalhadores americanos conquistaram a jornada de trabalho de oito horas.

Se a maioria dos países celebra no próprio dia, os americanos festejam em outra data, 3 de setembro, chamada de “Labor Day”. Outra curiosidade é no Canadá, onde o feriado é chamado  “Dia de Oito Horas”, em homenagem à redução da jornada de trabalho, um combate que  muitos pagaram com a própria vida.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *