Numa das leituras da madruga, nos deparamos entre tantos conteúdos com o que explicava que Jesus nunca forçou alguém a segui-lo 

e nem impunha por qualquer meio constrangedor de que as pessoas da época aceitasse a mensagem que Ele trazia ao mundo. Também nunca deixou de acreditar em Pedro, mesmo que ele lhe negasse

 as vezes mencionadas, pelo contrário, até deu-lhe tarefa de grande responsabilidade nos dias que se seguiram.

Por outro lado, apensar de ser traído por Judas, não lhe guardou rancor algum.

Infelizmente a maioria de nós não exercita tais condutas, embora passado quase 2000 anos do exemplo não conseguimos ainda mostrar indícios da capacidade de amar ao próximo como a nós mesmos, pois vemos pelo andar do mundo em geral que não alcançamos este intento. Estão todos os dias pessoas praticando o mal, drogando-se, e, portanto envolvendo-se numa energia tão pesada acabando fazer eclodir doenças que vão tirar-lhes o sossego de terem uma vida menos atribulada.

Temos o livre arbítrio que faz parte da Misericórdia Divina para decidir os caminhos a tomar, mas preferimos enveredar por labirintos tortuosos de desamor, que certamente nos gerará grandes angustias. Esquecemo-nos de questionar os motivos pelos quais estamos aqui neste pequeníssimo Planeta, e quando percebemos, o tempo na Terra termina para nós e retornamos ao Plano Espiritual sem ter realizado os principais objetivos pelos quais viemos aqui, e apesar de vermos exemplos tristes que acontecem na maioria das famílias a nossa volta, ou mesmo na nossa, continuamos a cometer erros. Se nos traem ou nos ofendem, queremos logo revidar, demonstrando o orgulho, este que é o pior dos defeitos.

Muitos querem a perfeição de outrem, mas faz pouco para se melhorar. Não são capazes de dar bons exemplos, e apesar do tempo que passou que Jesus esteve aqui e deixou a mensagem compilada no Evangelho, as pessoas de um modo geral pouco mudaram em relação àquela época, e certamente não entenderam ou não lhes convém à mensagem do Cristo. Temos visto que é muito difícil à caminhada no sentido do melhoramento, requer um exercício diário com muita disciplina e perseverança, mas acabamos fraquejando, mesmo que tenhamos boas intenções e estarmos num Planeta onde ainda predomina o mal.

Mas é neste clima adverso que temos de domar nossas ruins tendências para enxergarmos à Luz Maior. Jesus continua com o mesmo propósito, não nos constrange e deixa-nos a vontade no sentido de segui-lo ou não. O bom disso tudo é que temos tempo noutras vidas futura para recuperarmos a caminhada perdida, já que uma única vida como pensam alguns ter, é impossível exteriorizar uma resignação necessária.

Temos tempo.

Muita paz amigos.

Postado por Nilton Moreira, em 24/11/17, na Rede Espirit Book