Veterinário mata mulher no banho e depois comete suicídio…

O veterinário Walter Moreno, de 44 anos, matou a tiros a mulher,

 a veterinária Telma Adriana Galhardo, de 43 anos, enquanto ela tomava banho. 

O crime foi na noite de segunda-feira (11), em Suzano, na Grande São Paulo. Ele foi achado morto, preso por uma corda à cobertura da área de lazer, no quintal da casa. A morte da mãe foi presenciada pela filha de 8 anos.

A Polícia Civil investiga a hipótese de homicídio seguido de suicídio. Segundo testemunhas, o casal estava em processo de separação e havia se desentendido na divisão dos bens.

Após o assassinato da mãe, a criança correu ao ouvir os disparos e um vizinho acionou a polícia. Os PMs, que tiveram de forçar a porta para entrar, encontraram a mulher caída sob o chuveiro. Ela tinha lesões no crânio e duas perfurações no peito.

Aos policiais, a menina disse que viu o veterinário atirar contra a mãe pelo vidro do banheiro com uma arma pequena. Em seguida, ele foi dentro da casa, pegou a espingarda e fez outros disparos. A criança não teve ferimentos e está sob cuidados da família da mãe. Testemunhas disseram que o veterinário sofria de depressão e tomava remédios, às vezes com bebida alcoólica.

O casal entrou em conflito ao dividir os bens – que incluem joias de alto valor. Uma caixa-forte de madeira com dinheiro foi apreendida e colocada à disposição da Justiça. A Polícia Civil abriu inquérito e aguarda os laudos da perícia e da análise dos corpos. Amigos lamentaram a morte de Telma em sua página no Facebook.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, 69% dos casos de homicídios entre casais ou companheiros teve um homem como autor do crime entre janeiro e julho deste ano.

Nosso comentário: eis o resultado de um país que se diz “laico” e que tem feriados católicos. Quer dizer não é uma coisa nem outra, ou seja, não quer desagradar a ninguém, mas ao praticar feriados católicos desagrada a todos os outros. As gerações que foram educadas nas escolas sem uma matéria que englobe o estudo de religião e uma filosofia existencialista como a doutrina espírita, jamais irá crescer nos fundamentos éticos, morais e existenciais. É como se existisse por existir, como simples animal… E isso não corresponde à verdade, mas a sociedade mais esclarecida tem o preconceito ignorante que não se pode magoar a susceptibilidade de terceiros e não tem coragem de impor essa matéria nos currículos escolares. O resultado está à vista, sem mais comentários. É um vazio existencial, que nem de perto nem de longe corresponde a qualquer fundamento existencial. Assim, caminhamos a passos largos para o abismo, no qual já nos encontramos, com tendências a piorar drasticamente…

Alberto Maçorano

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *