Defensora ferrenha da ex-presidente Dilma Rousseff, a senadora Vanessa Grazziontin (PCdoB-AM) foi hostilizada em um voo para Curitiba, na noite de quarta-feira (31). Ao desembarcar, ela foi xingada por um grupo de pessoas favoráveis ao impeachment de Dilma. 

Quando a confusão começou, a senadora pegou o celular para filmar e um dos passageiros tentou tirar o aparelho das mãos de Grazziotin. O homem foi detido pela Polícia Federal por cerca de 40 minutos. A gritaria atrasou o desembarque em 30 minutos.

“Achei um absurdo, que foi uma agressão sim. Ela apontou o celular para filmar e quando ele puxou, ela puxou também, e pegou no cabelo dela. E ela acabou batendo a cabeça no braço da poltrona. A Polícia Federal não tinha delegado no aeroporto e acabaram não registrando a ocorrência na hora. Ele (o agressor) foi para a salinha da Polícia Federal”, conta um passageiro ao jornal A Crítica.

Ao jornal, a assessoria da senadora disse que Grazziotin preferiu não registrar ocorrência nem divulgar o caso, considerado “lamentável”.

No Facebook, o advogado Paulo Demchuk negou a agressão: “Eu disse que os políticos são irresponsáveis e são a causa de quase todos os problemas no brasil; disse que a política estatal é o problema; que eles, políticos, deveriam se tratar no SUS. Cometi o erro de tentar tirar o celular da mão da Vanessa quando ela me filmava. Em relação a isso, aceito as críticas, me retrato, e penso que não deveria tê-lo feito

Nosso comentário: é esta postura que retrata a democracia? Este o estado a que chegou a sociedade brasileira, como consequência da irresponsabilidade de um playboizinho de nome Aécio Neves que não sabe o que significa viver em democracia, então não aceitou de maneira nenhuma ser derrotado nas urnas, sobretudo por uma mulher, iniciando-assim a “via crucis” de Dilma até culminar na crucificação. Através de informações falsas e mentirosas através das mídias de redes sociais e internet, conseguiram sensibilizar os mais volúveis, e os menos apetrechados do conhecimento, da cultura e de princípios éticos e morais, para desestabilizar toda uma sociedade, constatada por acontecimentos iguais ao relatado acima. É simplesmente desolador, como um simples meio de comunicação eletrónico pode ter um efeito tão devastador, provocando uma autêntica lavagem cerebral, insinuando-se aquilo que não existe e nunca existiu, insinuando-se que o país só teve o PT, Lula e Dila, para serem massacrados e torturados como os causadores de toda a desgraça do Brasil, esquecendo-se que o Brasil tem uma história depravada de corrupção impregnada no DNA desde a sua fundação como país. 

Até onde chega o “fanatismo” e a cegueira política. E chamam a este estado de sítio e de desiquilíbrio de “civilização”.

É caso para dizer-lhes: “perdoai-lhes Senhor, não sabem o que fazem”!

Alberto Maçorano