Portanto, a possibilidade do futuro ser revelado ao homem existe, embora “em casos raros e excepcionais”. Em seguida, esclarecem o porquê da excepcionalidade: “se o homem conhecesse o futuro, neglicenciaria do presente e não obraria com a liberdade com que o faz…”

Leia mais