Preta, lésbica, mãe solteira e pobre.

Cumpriu-se o seu destino: espancamento e morte. A polícia está aí para sacramentar nossos preconceitos. A ONU afirmou que “a morte de Luana é um caso emblemático da prevalência e gravidade da violência racista, de género e lesbofóbica no Brasil”. Engano: não é mais um caso, é a sequência de uma cultura de extermínio de negros, homossexuais e pobres.

               É o método de “controle social”, criado com o escravismo

Read more