BRASÍLIA – Delatores da Odebrecht relataram à Procuradoria-Geral da República que o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), recebeu no exterior R$ 50 milhões pagos como propina para que ele defendesse os interesses da empreiteira nas usinas hidrelétricas do Rio Madeira, Jirau e Santo Antônio.

Leia mais