Ter sonhos durante o repouso do corpo. Muitas pessoas dizem que não passam uma noite sem sonhar. Outras que isto Menina deitada raramente acontece… Segundo cientistas do Centro de Pesquisas em Neurociência de Lyon, na França, quem tem sono leve e acorda com maior frequência à noite, memoriza melhor os sonhos do que aquelas pessoas que dormem pesado.

Para a Doutrina Espírita lembrar ou não dos sonhos é menos importante do que entender como este processo acontece.

É no sono que ocorre o desprendimento do Espírito do corpo material, uma vez que o Espírito tem necessidades diferentes, e uma delas é liberar-se um tempo do mergulho na carne.

A pergunta 401 da obra O Livro dos Espíritos, capítulo O sono e os sonhos, esclarece se durante o sono, a alma repousa como o corpo: “Não, o Espírito jamais permanece inativo. Durante o sono, os laços que o unem ao corpo se afrouxam e este não tem necessidade do Espírito. É quando ele, então, percorre o espaço e entra em relação mais direta com os outros Espíritos”.
Enquanto ocorre este desprendimento, experiências surgem, que geralmente denominamos “sonhos”.

No Espiritismo aprendemos também que o desprendimento significa a emancipação da alma, ou desdobramento.

Podemos dizer que o sonho é uma espécie de desdobramento.

Entenda melhor a respeito:

Sono: necessidade do corpo físico de reposição das energias, repouso e descanso após um dia cansativo de trabalho;

Sonho: podemos considerar quatro tipos diferentes – situação alucinatória, recordação do passado, percepção do futuro e vivência no plano espiritual;

Desdobramento: capacidade que todo o ser humano tem de estender a consciência para fora do corpo, quando vamos dormir o espírito se “desdobra” entrando em estado de emancipação, podendo alcançar, sob certas condições até outros mundos.

Aprofundando um pouco mais, percebemos em outras situações que esta manifestação ocorre naturalmente, a pessoa se desloca do corpo sem vontade, não sabendo ao certo como isso aconteceu, outras vezes é provocada, levando a pessoa a sair voluntariamente do corpo.

Ao analisarmos pelo aspecto mediúnico, verificamos que nem todos possuem esta faculdade que, como todas as outras, precisa ser devidamente utilizada.

Prestação de assistência extra física: este é o maior objetivo do desdobramento mediúnico.

Quando entendemos os benefícios desta ação, comprovamos que somos seres espirituais em nossa real essência, que podemos nos encontrar com entes queridos desencarnados e ter contato com amigos espirituais mais evoluídos que contribuem também com a nossa evolução.

Cabe a nós utilizarmos os ensinamentos doutrinários quando tivermos qualquer tipo de sonho, para não cairmos na tentação de decifrar erroneamente todas as situações que vivenciamos durante o sono.

É nosso dever também sabermos diferenciar os sonhos dos desdobramentos e utilizá-lo sempre conscientemente.

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 02/06/16, na Rede Espirit Book