Nos últimos seis anos de governo, Dárcy Vera liderou, segundo a Operação Sevandija, uma quadrilha que furtou cerca de 200 milhões de reais.

Em poucos minutos, para trocar os membros na Comissão de Justiça que votava o relatório de crime de corrupção passiva contra ele, Michel Temer gastou 150 milhões de reais, liberando verbas para os 20 deputados que rejeitaram o relatório de Sérgio Zweiter.

Dárcy Vera foi muito incompetente. Precisou de seis anos para “arrecadar” uma quantia pífia (pessoalmente não ficou nem com 10 mi e teve de distribuir a grana entre aliados traiçoeiros que a delatarm aos promotores, perdeu o cargo e está na cadeia).

Nos quatro meses depois da delação da JBS e da gravação de Joesley, Temer distribuiu aos aliados mais de 1 bilhão, em verbas que se escoaram pelos “canais competentes” – vão para as bases eleitorais e abastecem os desvios conhecidos. Temer nem se arriscou: Bastou publicar no diário oficial. E, naturalmente, cortar direitos dos trabalhadores, agradando àqueles que poderiam protestar. De vez em quando derrapa ao aumentar impostos. Aí é outra história: No final ele visita Paulo Scaf e todos “compreendem” que tudo é feito para o bem do Brasil.

Uma manchete característica nos jornais norte-americanos é “SHAME” (vergonha) – em maiúsculas e letras graúdas quando noticiam safadezas desse tipo. Na Europa os tabloides enchem a primeira página e “lincham” os ladrões. No Brasil, a “imparcialidade” não permite estes “excessos”.

Esta discrepância entre a imprensa brasileira e a estrangeira é um dos motivos porque somos roubados por ladrões conhecidos e ainda pagamos para defendê-los. Tem gente que acha justo.

Júlio Chiavenato
Jornal A Cidade, Ribeirão Preto, 25/07/17 
chiavenato@jornalacidade.com.br

Nosso comentário: excepcional analogia pelo não menos excepcional Júlio Chiavenatto. Se a maioria dos jornalistas brasileiros tivesse a sua idoneidade, caráter, dignidade, ética, isenção e capacidade, tenho certeza de que o Brasil seria outro bem melhor. Infelizmente é a mídia jornalística, por sinal, bem inferior, que está comandando a política brasileira, que, apesar da Lava Jato, que só tem olhos para o Lula, Dilma e PT, continua soltinha da silva, a corja de corruptos e corruptores. Até quando? É o que gostaríamos de saber…

Alberto Maçorano