Rio tem 100 policiais assassinados em 2017 após morte de sargento…

RIO – Morreu por volta das 9 horas deste sábado, 26, o sargento Fábio José Cavalcante e Sá. Ele foi o 100º policial militar assassinado neste ano no Rio de Janeiro. O PM morreu em uma tentativa de assalto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

De acordo com informações divulgadas pela Polícia Militar, o sargento reagiu e foi atingido com um tiro na cabeça. Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nilo Peçanha, em Duque de Caxias, também na Baixada Fluminense, mas não resistiu aos ferimentos.

Nesta quinta-feira, 24, havia sido registrado o 99º assassinato de um policial militar. O subtenente Mabel Sampaio, de 53 anos, morreu no início da tarde após ser baleado no bairro Porto da Madama, em São Gonçalo, na região metropolitana.

Segundo a Polícia Militar, equipes do 7º Batalhão da Polícia Militar de São Gonçalo foram acionadas para uma ocorrência e, ao chegarem ao local, encontraram o PM ferido por disparos de arma de fogo. Ele estava em frente à sua residência.

O policial foi socorrido e encaminhado ao Pronto Socorro de São Gonçalo, mas não resistiu aos ferimentos.

Nosso comentário: já abordei várias vezes este tema e, por isso, não me vou alongar, por desnecessário. Apenas o comentário de sempre: enquanto os governos persistirem em enfrentar a “parte marginalizada da sociedade” pela violência, jamais chegaremos a parte alguma. Aliás, a situação tenderá sempre a piorar, que é o que está escancaradamente à vista de todos. Só não enxerga quem não quer ter a humildade suficiente para tanto. Jamais teremos uma sociedade equilibrada enquanto uma minoria viver em palácios suntuosos e a maioria vegetar em subúrbios favelados ou, até, comer migalhas do lixo e dormir ao relento sobre o cimento. Só acabaremos com esse desequilíbrio quando os governantes se preocuparem verdadeiramente com a pobreza e a miséria, instituindo políticas públicas para que isso se extinga, na realidade, e não por mágicas ou simples pretensões. Enquanto isso não acontecer o filme vai rolando indefinidamente em direção ao colapso social.

Alberto Maçorano

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *