Boas ideias e boas ações. Neste aniversário de 161 anos de |Ribeirão Preto, é este o presente que a cidade merece. Precisamos virar o disco das lamentações e, sem falsa alegria, criar um novo clima.

Acabar com o “nhe-nhe-nhem”, dispensar o “mimimi”, parar de chutar pedrinhas e cessar definitivamente com as lamúrias.

Já choramos demais sobre o leite derramado. Temos potencial criativo, potencial económico e podemos virar a mesa se houver apostas. Mais que isso, se houver pesquisa em tecnologia. E a aplicação local de soluções que já deram certo.

Criatividade e boa gestão. É o que Ribeirão merece receber em uma bela caixa de presente, depois de ter sido aviltada, arrasada, traída e maltratada por uma quadrilha criminosa. Basta de sofrer.

Se sumir a turma que pensa pequeno e entrar em campo só o pessoal que enxerga longe, teremos, certamente, uma outra qualidade de vida.

Precisamos de ideias. Precisamos de ação. Precisamos de energia, de um coração novo. “A minha terra é um coração aberto ao sol pelas enxadas”, escreveu Saulo Ramos, no poema do Hino de Ribeirão Preto.

Precisamos agora de olhos inéditos. E devemos buscar os caminhos dos cérebros experientes, sem desprezar a ousadia dos jovens.

É mesclando conhecimento e força, juventude e maturidade, senso de justiça e senso de oportunidade, que desbravaremos o caminho de volta.

Não vamos atrás, porém, das vitórias passadas. Precisamos beber de novas fontes e escrever uma nova história.

Editorial do jornal “A Cidade”
Ribeirão Preto, 18/06/17

 

Nosso comentário: achamos esta coluna muito bem elaborada e coerente com a crise de identidade que a cidade de Ribeirão Preto vem atravessando. Por isso me apressei a divulga-la no meu blog. Está de parabéns o editorial deste jornal e endossamos as nossas particulares saudações e felicidades para tão grandioso dia. Que a crença no futuro seja tão radiosa que apague de uma vez a frustração do presente.

PARABÉNS RIBEIRÃO PRETO.

 Alberto Maçorano