O perfil do ministério de Temer é temerário. O ministro da Educação e Cultura, Mendonça Filho (DEM-PE), é investigado pela Operação Castelo de Areia, por receber R$ 300 mil da empreiteira Camargo Corrêa. Já foi preso pela Justiça Eleitoral e quis nomear o deputado Júlio Campos,

denunciado ao STF (Supremo Tribunal Federal) como mandante de dois assassinatos, para presidir a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado.

                O da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), é investigado pelo Ministério Público do Paraná por corrupção, improbidade e tráfico de influência. Na Previdência Social, Ronaldo Nogueira (PTB-RS), pastor da Assembleia de Deus, sofre dois processos por irregularidades na gestão da Câmara de Carazinho.

                O dos Transportes, Maurício Quintella (PR-AL), foi condenado em agosto de 2014 por desviar dinheiro da merenda escolar em Alagoas, quando era secretário da Educação, entre 2003 e 2005.

                Na Justiça, Alexandre de Moraes (PSDB-SP), foi advogado de Eduardo Cunha e envolveu-se em vários escândalos quando era presidente da extinta Febem.

                Deixemos os notórios, como Romero Jucá, Geddel Lima e Eliseu Padilha. Fiquemos com o ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB-SP), denunciado pelo Ministério Público de S. Paulo pelas falcatruas nos contratos para a reforma de trens do metrô paulistano. O promotor da Defesa do Património Público, Marcelo Milani, constatou ilegalidades em quatro contratos na gestão do então governador Serra, que subdivididos em outros dez “é um escândalo total, um prejuízo total aos cofres públicos”, que chega a R$ 900 mil.

Júlio Chiavenato 
Ribeirão Preto, 14/05/16 
chiavenato@jornalacidade.com.br

Nosso comentário: para qualquer pessoa de bom senso e equilíbrio fica-se perguntando: foi para isso que fizeram toda essa algazarra, panelaço e guerra fria durante cerca de um ano e meio contra o PT, Lula e governo Dilma em particular? Por acaso esses pseudopatriotas nunca se tocaram que tudo isso era um jogo de interesses e canalhices contra a Dilma, em particular, mais por conta do seu principal desafeto, o machista e playboy Aécio das Neves, que não conseguiu digerir a derrota das urnas e desde logo iniciou uma guerra fria contra o governo, mesmo antes de começar a governar e foi manobrando o jogo sujo de bastidores, não trabalhando e não deixando trabalhar, obstruindo qualquer tentativa de governação e, para cúmulo dos cúmulos, chegam ao final do mês e recebem aquela tantada de dinheiro. Assim a mídia, por motivos escusos entrou nesse merchandising e para maiores escândalos, é só acompanhar os comentários dos ignorantes e pseudo-ignorantes que grassa na “internet” da vida para constatar os maiores disparates possíveis e imaginários. No começo ainda me indignava e cheguei a responder. Agora, sequer perco o precioso tempo em tamanhas bobagens. Falaram tanto da corrupção, quando 99% da política está infestada de corruptos. Enquanto não colocarem em prática a autêntica “ficha limpa”, jamais sairemos do lamaçal em que se encontra a administração pública e política do Brasil. Depois ainda nos querem fazer passar por idiotas, dizendo que não foi golpe. Parabéns, senhor Chiavenato, pelo seu bom senso e discernimento.

 

Alberto Maçorano

 

 

 

Posts Relacionados