Protesto contra Temer termina em confusão em S. Paulo

Acabou em corre-corre o protesto contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no largo da Batata, bairro de Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo. Após a Polícia Militar fechar a estação do metrô por causa de superlotação, os manifestantes jogaram garrafas contra os policiais, que reagiram uma série de bombas de efeito moral, espalhando terror pelo bairro. Nas contas dos organizadores, cerca de 100 000 pessoas seguiram do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, até o largo da Batata, no bairro de Pinheiros.

O confronto de policiais com manifestantes ocorreu após o encerramento oficial da manifestação. Durante toda a passeata, não houve registro de violência. Os manifestantes carregaram bandeiras vermelhas da CUT e do PT, tocaram instrumentos musicais e fizeram cantorias. No meio do trajeto, gritaram palavras de ordem. A mais recorrente é o já tradicional “Fora Temer”.Os manifestantes também ergueram cartazes pedindo nova eleição para presidente e “Diretas já”.

No final da passeata, já na praça do largo da Batata, os manifestantes queimaram um caixão com fotos do presidente Michel Temer, simbolizando a sua cremação. Quando o caixão se transformou em cinzas, os manifestantes bateram palmas. Após esse ato, os black bocs entraram em ação e depredaram a fachada de um banco e lixeiras das calçadas.

Arquivado em:Brasil

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *