Alguns instantes agradabilíssimos de espera e o emissário apareceu na tribuna simples, magnificamente iluminada. Era um ancião de porte respeitável, cujos cabelos lhe teciam uma coroa de neve luminosa. De seus olhos calmos, esplendidamente lúcidos, irradiavam-se forças simpáticas que de súbito nos dominaram os corações.

Depois de estender sobre nós a mão amiga, num gesto de quem abençoa, ouviu-se o coro do Templo entoando o hino “Glória aos Servos Fiéis”:

Ó Senhor!
Abençoa os teus servos fiéis,
Mensageiros de tua paz,
Semeadores de tua esperança.
Onde haja sombras de dor, acende-lhes a lâmpada da alegria;
Onde domine o mal, ameaçando a obra do bem, abre-lhes a porta oculta à tua misericórdia;
Onde surjam acúleos do ódio, auxilia-nos a cultivar as flores bem-aventuradas de teu sacrossanto amor!
Senhor! São eles teus heróis anônimos,
Que removem pântanos e espinheiros,
Cooperando em tua divina semeadura…
Concede-lhes os júbilos interiores,
Da claridade sagrada em que se banham as almas redimidas.
Unge-lhes o coração com a harmonia celeste
Que reservas ao ouvido santificado;
Descortina-lhes as visões gloriosas
Que guardas para os olhos dos justos;
Condecora-lhes o peito com as estrelas da virtude leal…
Enche-lhes as mão de dádivas bendita.
Para que repartam em teu nome s lei do bem,
A lua da perfeição,
O alimento do amor,
A veste da sabedoria,
A alegria da paz,
A força da fé,
O influxo da coragem,
A graça da esperança,
O remédio retificador!…
Ó Senhor,
Inspiração de nossas vidas,
Mestre de nossos corações,
Refugio dos séculos terrestres!
Fase brilhar teus divinos lauréis
E teus eternos dons,
Na fronte lúcida dos bons
— Os teus servos fiéis!

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 08/05/17, na Rede Espirit Book