” Senhor!… Neste dia em que o pranto revela os meus amados inesquecíveis, que meu coração eleve aos Céus minha gratidão pelo muito que eles fizeram por mim, pelo amor dispensado, pelos cuidados e pela presença querida e fiel ao longo da vida…
Reconheço que aqueles que amei e que muito me amaram, foram fundamentais à minha paz e crescimento e, se muito contei Contigo, Senhor, com teu amor a amparo, muito também precisei deles, no que sempre fui prontamente atendido. Guarda-os em tua paz, Jesus, guarda-os na alegria que fizeram por merecer! Que eles possam receber neste momento a minha mais sincera e reconhecida prece, onde vai junto todo o amor, carinho e saudade que meu coração pode externar!…
Amo-os e amarei para sempre, com toda a ternura de que sou capaz!
Outrossim, Senhor, também venho pedir hoje pelos que se foram sem deixar comigo senão a indiferença ou o alívio com a sua partida… Peço pelos que me legaram apenas a lembrança amarga de uma convivência que muitas vezes não pautou nem pelo amor, nem pela confiança e nem pelo respeito mútuo.
Falo dos que ergueram no mundo por meus adversários, algozes inconscientes que um dia chamei de pai, de mãe, irmão, irmã, esposo, esposa…
Minha alma se entristece hoje pois reconheço que nós não soubemos renovar sentimentos.
Entregando-os ao Plano do Espírito, através da desencarnação, vejo que resistem em minhas lembranças, perpetuando através de quadros, um sofrimento que já não cabe mais em minha existência.
“Deixai aos mortos o cuidado de enterrar seu mortos”, ensinaste um dia…
Também quero enterrar meus mortos em um recanto mais fraterno de minha memória, para que possamos prosseguir, eles e eu, em paz, na Terra e no Além, sem que lembranças infelizes tornem a nos ligar fluidicamente, alongando assim um sofrimento que não precisa e nem deve continuar.
Ajuda-me a perdoar, Senhor!
Ajuda-me a ver neles apenas irmãos merecedores da minha desculpa e de minha compaixão!…
Se a nossa convivência não foi feliz, que meu coração os liberte para a felicidade que merecem na companhia de outros corações!
Que nada reste em minha memória, Jesus, senão o perdão que pacifica e o silêncio que abençoa…
Ajuda-me a superar o que se findou, definitivamente, para que a libertação se faça vida em mim e em todos aqueles que me partilharam a existência…
No dia dos mortos, que a minha compreensão iluminada por Ti permita que eu enterre os meus mortos desnecessários, e, com tua bênção, conquistemos todos nós uma vida nova, plena, abundante e verdadeira! “

Assim seja!

Psicografia do Instituto André Luiz, 27.10.2012

Postado por Nilza Garcia, em 02/11/17, na Rede Espirit Book