Coube a mim, certa feita, dialogar com um espírito que havia sido político na sua última existência através de um médium psicofônico.

O Espírito comunicante se encontrava atordoado. Gritava enlouquecido e pedia perdão pelas suas faltas.

Dizia-se arrependido porque havia perdido uma existência inteira. Tinha reencarnado para auxiliar as pessoas no exercício da política e houvera fracassado.

Fracassara frente ao desafio quando todos os recursos foram-lhe conferidos por Deus para sua vitória, que seria trabalhar por um país mais justo. Desviara dinheiro público (que é do povo) para benefício próprio, que deveria ser aplicado na educação, saúde transporte e infraestrutura.

E gritava desesperadamente: – Minhas mãos, cadê minhas mãos?

O Espírito, porque tinha um grande sentimento de culpa, fizera com que suas mãos – que sempre se lhe apresentavam sujas – desaparecessem aos seus olhos. Encontrava-se mutilado.

Ninguém engana a Lei de Deus que é inexorável e incorruptível.

Após o diálogo esclarecedor e a assistência espiritual necessária para o caso, afastou-se um pouco melhor e mais calmo.

* * *

A corrupção no Brasil afeta diretamente o bem-estar dos cidadãos brasileiros quando diminui os investimentos públicos na saúde, na educação, em infraestrutura, segurança, habitação, entre outros direitos essenciais à vida, e fere criminalmente a Constituição quando amplia a exclusão social e a desigualdade econômica.

Na prática, a corrupção ocorre por meio de desvio de recursos dos orçamentos públicos da União, dos Estados e dos Municípios que são desviados para financiar campanhas eleitorais, corromper funcionários públicos, ou mesmo para contas bancárias pessoais no exterior. (wilkipedia)

A corrupção é crime. Como é praticada? Vejamos alguns itens:

* Favorecer alguém prejudicando outros.

* Aceitar e solicitar recursos financeiros para obter um determinado serviço público, retirada de multas ou em licitações favorecer determinada empresa.

* Desviar verbas públicas, dinheiro destinado para um fim público e canalizado para as pessoas responsáveis pela obra (empreiteiras).

Do lado do corrupto há sempre o corruptor, é claro. Se há alguém que recebe dinheiro “sujo” (dinheiro limpo é apenas aquele que se ganha com trabalho responsável e honesto), há outro que lhe dá esse recurso em troca de um favor: o corruptor.

A corrupção é presente (em maior evidência) em países não democráticos e de terceiro mundo. Essa prática infelizmente está presente nas três esferas do poder (legislativo, executivo e judiciário).

Não é prática de somente um partido, mas se espalha pelo poder público. Se fosse somente de um partido político seria fácil, bastaria tirarmos ele de lá.

Quando o governo não tem transparência (União, Estados e Municípios) em sua administração é mais provável que haja ou que incentive essa prática.

Não existe país com corrupção zero, embora os países ricos democráticos tenham menos corrupção, porque sua população é mais esclarecida acerca dos seus direitos, sendo assim mais difíceis de enganar.

No Brasil, estudos indicam que a corrupção é maior nos municípios (acredite!!!).

Por difícil que possa parecer, o Brasil ocupa uma posição intermediária quando se “mede” o nível de percepção da corrupção (uma espécie de ranking da corrupção). Organizações internacionais classifica o Brasil em 70º lugar em nível de corrupção, dentre 175 países da lista, em ordem crescente. Quer dizer, quanto maior a classificação, maior o nível de corrupção.

Culturalmente, associa-se a imagem da pessoa que tem e acumula bens à imagem de pessoa bem-sucedida. São os símbolos do poder, o dinheiro associado ao sucesso pessoal. A nossa cultura “ocidental” valoriza o enriquecimento, não importando a sua origem, e principalmente se for aquele obtido por meios escusos, pois não há vigilância e punição efetiva para esse tipo de conduta.

Estima-se que no Brasil a corrupção atinja em torno de 200 Bilhões ao ano.

Toda sociedade corrupta sacrifica a camada pobre, que depende puramente dos serviços públicos.

A corrupção está diretamente ligada ao crescente aumento da pobreza e miséria em escala global.

Com essa importância de R$ 200 bilhões daria para dobrar o valor anual dos recursos destinados à educação, à saúde, à segurança. Em poucos anos teríamos serviços de primeiro mundo.

Concluindo, uma das barreiras para que possamos alcançar uma sociedade igualitária é o combate eficaz da corrupção não só no nosso país, mas em todo o sistema internacional, pois só neste plano atingiremos um nível de desenvolvimento adequado para os nossos cidadãos.

Fernando Rossit

Postado por Ana maria Teodoro Massuci, em 19/06/17, na Rede Espirit Book