Allan Kardec informa que pode o Espírito reencarnado recuar diante da prova que se lhe apresenta. Portanto, não é apenas antes da encarnação que pode o Espírito arrepender-se da prova escolhida e, neste caso, não reencarnar. Ele – o Espírito – pode fazê-lo, ou seja, recusar a prova, já em “vida”. Quantos são os casos de pessoas que consideram sua “cruz” pesada demais e a abandonam. Quantos são os casos de suicídio diante de uma dificuldade? Quantos são os casos de filhos que renegam os pais, ou familiares que esquecem seus pares adoentados em clínicas, lares de idosos e tantos outros locais? Claro que cada caso é um caso e não nos cabe aqui julgamentos. Todavia, muitos desertam das suas provas porque pensam apenas no aqui e agora. É, pois, um direito que lhes cabe, contudo, o conhecimento espírita porta-se como um despertador de consciências a mostrar que a prova é oportunidade de crescimento e não punição.

Fonte: Wellington Balbo

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 13/08/17, na Rede Espirit Book.