Quando se falar acerca do planeta Terra, lembremo-nos, como aliás já estamos advertidos no Evangelho, de que estamos vivendo uma experiência de acordo com as nossas próprias necessidades. A Terra, em si, como planeta, guarda as qualidades do homem que a habita. Não há nela, propriamente dito, um magnetismo feroz, nem inferior,trata-se, apenas, de um planeta composto de um material um tanto pesado. Por isso, atrai espíritos que, igualmente, são mais próximos desta carga vibracional.
Assim como o jardineiro, a olhar a terra que tem diante de si, a revolve, semeia e espera o plantio e que o plantio dê flor e fruto, Jesus também tem provocado inúmeras situações que fazem o papel da terra revolvida.
As guerras provocadas pelo homem são como se, num jardim, a própria terra se revolvesse a si mesma. Tratando-se dos elementos naturais, embora conduzidos pelas forças do espírito, quase sempre quem provoca a remodelação do jardim é Jesus, através de inúmeras almas. E todas essas revoluções no jardim são para toná-lo mais puro, mais limpo e quase sempre uma semeadura nova.
Os lugares que sofrem grandes lutas, grandes guerras, grandes embates orgânicos ou naturais limpam-se de um sem-número de miasmas, permitindo que espíritos mais purificados ou mais alegres ou mais felizes possam ali reencarnar.
A Terra é, pois, um local de permanentes conflitos, de permanentes lutas, justamente porque, tranquilamente, a Lei de Deus está afastando espíritos mas rebeldes e trazendo outros mais adiantados para aqui começarem a tarefa nova, dando um destino novo á Terra (…)
Os elementso estão dispersos, as forças são contraditórias, as sementes não produziram corretamente suas flores e frutos. Enfim, estamos em plena transição. Por isso, é que a Terra, apesar de suas dificuldades, tem realmente uma destinação superior. Caberá ao homem adiantar, isto é, apressar este processo, se assim o desejar.
Os espiritistas têm um papel preponderante, mantendo o equilíbrio, a paz, a força do amor e o desejo correto de tudo fazer bem.
Deus nos ajude a todos ! Paz!
Balthazar / Do Livro: Pela Graça Infinita de Deus 

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 22/4/16, na rede Espirit Book