Popularmente conhecido como pintura mediúnica, o ato de transmitir visualmente uma mensagem, seja em forma de arte ou não, tem outro nome. De acordo com a Doutrina Espírita, esse ato de transmissão mediúnica se chama psicopictografia, ou pictografia, como é mais comumente chamado.

Embora algumas pessoas acreditam que essa forma de comunicação é recente, a pintura mediúnica já foi prevista e explicada pelo próprio Allan Kardec no Livro dos Médiuns em 1861. Eis o que Allan Kardec disse sobre o tema no capítulo XVI do livro: “(são médiuns pintores ou desenhistas) os que pintam ou desenham sob a influência dos Espíritos. 

Falamos dos que obtêm trabalhos sérios, visto não se poder dar esse nome a certos médiuns que Espíritos zombeteiros levam a fazer coisas grotescas, que desabonariam o mais atrasado estudante”.

As pinturas mediúnicas são muito populares e assim a procura por obras pictográficas é alta. É importante, então, tomar grande cuidado na procura por material desse tipo. Como as pinturas são de fácil comercialização, existem centros e ateliês especializados na produção comercial dessas obras.

O objetivo das pinturas mediúnicas é sensibilizar as pessoas e também servir como ponte de comunicação entre os espíritos e nós, os encarnados. O objetivo final da psicopictografia é mostrar através da arte que existe vida após a morte. Nesse campo vale o que disse Jesus há muitos anos, “Dai gratuitamente o que gratuitamente haveis recebido”.

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 27/12/17, na Rede Espirit Book