Espírito Explica Passo a Passo Sua Passagem Para Outro Plano

Baccelli trouxe para reflexão, um tema que, habitualmente, não é comentado nas Casas Espíritas, mas que deve ser objeto de estudo, e encontra-se em várias obras de André Luiz, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier:

A Segunda Morte.

Chico Xavier costumava dizer, para alguns amigos, que os espíritas estavam muito enganados a respeito do mundo espiritual, porque, na verdade, faziam uma ideia que não correspondia à realidade;

uma ideia um tanto quanto mística, sobrenatural e extraordinária, como se fosse uma vida completamente diferente da vida que vivenciamos aqui, no orbe terrestre.

O mundo espiritual é constituído por múltiplas dimensões e o correto é falar no plural:

mundos espirituais ou planos espirituais ou dimensões espirituais.

“Há muitas moradas na casa do Pai”, como Jesus já nos dissera.

André Luiz, através da mediunidade de Chico Xavier, trouxe-nos uma obra revolucionária, todavia, carece de ser estudada, meditada e não somente lida, para nos inteirar do seu extraordinário conteúdo de informações.

É possível que alguém já tenha ouvido falar a respeito da segunda morte, ou jamais ouviu ou leu sobre este assunto.

Muitos estão pensando:

“Mas, não é possível! Será que morrer uma vez só não basta?

Já é difícil enfrentar a morte, aqui, no plano físico e vamos ter que enfrentar, também, a morte no plano espiritual?

Vamos ter que morrer do outro lado?

” O espírito Dr. Inácio Ferreira nos fala:

“Meu filho, não é só a segunda, não.

Tem a terceira, a quarta, a quinta”.

Haveremos de morrer até sermos completamente despojados de nossos envoltórios, até atingirmos a condição de espírito puro, ou seja, até alcançarmos a nossa plena imortalidade.

Acontece, porém, que além do corpo físico, que também podemos considerar um corpo espiritual, possuímos diversos corpos espirituais.

Um dia, nos despojaremos desse corpo físico, através do fenômeno denominado morte.

Somos dotados de outro corpo, menos grosseiro, chamado períspirito, que um dia, igualmente, haveremos também de nos despojar.

Então, nos apresentaremos através do corpo mental.

Para que possamos alcançar a condição de pureza, precisamos de vida em vida, de dimensão em dimensão, irmos despojando-nos de diferentes envoltórios.

1 André Luiz nos fala, em suas obras, que no plano espiritual imediato, para que o espírito possa se transferir para o próximo plano espiritual mais elevado, necessita deixar seu corpo mais grosseiro, que nós denominamos períspirito.

Eu me recordo de Chico Xavier conversando conosco, em Uberaba, dizendo assim:

“Somos portadores de sete corpos.

Para alcançarmos a perfeição e deixarmos de reencarnar em qualquer dimensão espiritual, precisamos nos livrar desses sete corpos”.

Então, a morte não existe, sequer, neste plano, porque a morte não passa de um fenômeno periférico, um fenômeno de libertação;

é um fenômeno que também acomete o perispírito, do outro lado da vida. Não somos nós que estamos dizendo isso.

Quem nos explica é André Luiz, nos livros Os Mensageiros, Missionários da Luz, Obreiros da Vida Eterna, Libertação, Evolução em Dois Mundos.

Acompanhemos algumas de suas colocações para modificarmos a nossa concepção de “mundo espiritual, de vida no plano espiritual”.

Dr. Inácio Ferreira comenta:

“Meu filho, muitos espíritas ainda pensam com a cabeça de um católico.

Acham que o plano espiritual e que o Céu só mudaram de nome. Deixou de ser Céu para ser plano espiritual.

O paraíso mudou de nome. Deixou de ser Éden para ser Nosso Lar”.

Precisamos entender que não é assim.

O mundo espiritual é uma dimensão onde a vida se manifesta, como se manifesta sobre a Terra.

Chico Xavier, certa vez, conversando com um repórter materialista, teve a oportunidade de esclarecer.

Chico disse assim:

“A vida, o Universo é como se fosse uma cebola partida ao meio. O que enxergamos?

Diversas camadas. Cada camada corresponde a uma dimensão.

Vivemos, apenas e tão somente, numa camada da cebola.

A Terra não é mais que uma camada da cebola.

O plano espiritual é a próxima camada da cebola.

Mas para que possamos subir a uma esfera mais elevada, precisamos perder peso, ou seja, precisamos ocupar corpos cada vez mais diáfanos, aperfeiçoados, cada vez mais etéreos, menos grosseiros”.

Então, o repórter materialista disse ao Chico:

“Ah, foi por isso que Jesus falou que há muitas moradas na casa do Pai?

” E Chico respondeu:

“Sim, há muitas cebolas na casa do Pai.

” E acrescentou:

“Na realidade, Deus é um plantador de cebolas”.

E o repórter perguntou ao Chico:

“E quando a gente chegar à última camada da cebola?

” Chico respondeu:

“Você poderá escolher.

Terá o Universo à sua disposição.

Poderá ir para onde desejar.

Por enquanto, estamos onde a Lei determina.

Mas, quando atingirmos tal posição, poderemos escolher”.

É como me disse, certa vez, o Dr. Inácio Ferreira:

“Meu filho, quando você desencarnar vai para o mundo espiritual. Agora, só falta saber para qual deles

 

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 28/05/17, na Rede Espirit Book