Pai grava assassinato dos filhos e manda vídeo para família da mulher…

SOROCABA – O zootecnista Hugo Imaizumi, de 41 anos, que matou os filhos de 3 e 4 anos e depois tentou o suicídio, gravou as cenas do crime e mandou as imagens para a família da mulher. A revelação foi feita nesta quarta-feira, 28, pela mãe das crianças,a fisioterapeuta Juliana Paes, de 39 anos. Segundo ela, as imagens mostram Imaizumi dando remédio para que os meninos dormissem e em, seguida, usando uma faca para tirar-lhes a vida. O vídeo foi mandado via WhatsApp para a mãe de Juliana, mas quem viu as imagens foi o irmão dela, que as apagou em seguida. O tio das crianças, segundo a mulher, ficou em estado de choque.

A tragédia aconteceu na madrugada de domingo, 25, na casa do casal, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo. Imaizumi era doutor em Ciência Animal pela Universidade de São Paulo (USP) e um pesquisador conceituado no setor de nutrição animal. Segundo Juliana, o marido era possessivo e ela havia pedido a separação, mas ele não se conformava. Para atingi-la, planejou a morte das crianças.

Na noite do crime, ela dormia com os filhos em um quarto separado. Quando acordou, os meninos não estavam na cama. Ela foi ao quarto do marido, mas a porta estava trancada. Juliana deu a volta por fora e abriu a janela, deparando-se com as duas crianças já sem vida, ao lado do marido, que tinha uma faca cravada no pescoço. As duas crianças foram mortas com um único golpe certeiro na jugular.

Segundo ela, o relacionamento entre eles havia acabado, mas o marido não aceitava. Como estava desempregado, o zootecnista ficava com as crianças enquanto ela trabalhava, por isso nunca imaginou que ele fosse capaz de fazer mal a elas. Imaizumi continua internado no Hospital de Base de Rio Preto. Ele passou por cirurgia e está em estado estável, mas é mantido sob escolta. Assim que receber alta, será preso.

 

Nosso comentário: infelizmente, haveria muito a acrescentar, mas, estas cenas tornaram-se tão triviais, que nem dá vontade de falar delas de tão aberrantes que são, indignas de serem praticadas por seres humanos.

Volto a insistir que se esta pessoa tivesse amplo conhecimento da doutrina espírita, pensaria mil vezes antes de praticar tão tresloucado ato e, acreditamos que acabaria por desistir desse horrendo crime. Portanto solicitamos apoios para que o espiritismo seja colocado nas escolas, através de mais respeito e consideração por pais, irmãos e avós.

 

Alberto Maçorano

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *