A oração deve abrir espaços no tempo do cristão, a fim de preencher-lhe os vazios do sentimento.

Mais do que um aumento de palavras, a oração é um ato de interação entre a alma e Deus.

Não importa a posição do corpo, no ato de orar, mas a da alma, que se eleva quanto mais reconhece a própria pequenez.

Ato de humildade, de adoração, de fé, a oração é o pulsar do desejo humano na vibração do amor divino.

O homem que ora abre-se ao amor, e a vida plenifica-o com paz.

A oração, talvez não mude as circunstâncias nem impeça as ocorrências, mas dá visão para comprendê-las e forças para superá-las.

Mediante a oração, o homem marca o seu encontro com Deus. Sem esse contrato, desacostuma-se de conversar com Ele, perde a compreensão para os seus desígnios, terminando por esquecê-lo, e quando deseja reatar o intercâmbio, aturde-se, sem saber como fazê-lo.

Deus espera pelo homem, e a oração é o veículo que o aproxima dele.

Muitas criaturas buscam Deus quando estão desesperadas, e, porque perderam o seu endereço, o apelo não consegue alcançar o alvo. A oração é o meio seguro de saber onde ele se encontra.

A oração mais eficiente é a que se faz através do bem ao próximo sob a inspiração do amor.

Joanna de Ângelis