Mamãe, num raro momento de felicidade, retomei a consciência, e, por alguns instantes, libertei-me do corpo. Livre dos embaraços físicos, pedi a Deus a oportunidade de comunicar-me com você.

Sei o quanto sofre ao ver-me no corpo excepcional onde me abrigo como filho do seu coração e, por isso, quis falar-lhe:

Saiba, mãezinha querida, antes de receber-me carinhosamente em seu ventre, eu era apenas um náufrago nos mares espirituais do sofrimento.

Você foi a praia que me acolheu devolvendo-me a segurança.

Não pense que se eu tivesse morrido ao nascer teria sido melhor para nós dois. É um engano cruel, pois o que mais importa para mim é viver!

O seu amor é a força que pode prolongar-me a vida. O corpo disforme, que hoje me sustenta a existência, representa para mim um tesouro de bênçãos onde reeduco o meu Espírito, aprendendo a valorizar a vida que tantas vezes desprezei.

Sei que sofre por eu não poder dar-lhe as alegrias de uma criança sadia, porém, reconforta-me saber que para as mães como você, Deus reserva as alegrias celestiais!

Ser mãe é missão natural das mulheres. Ser mãe de alguém como eu é missão que Deus só entrega a mulheres especiais como você.

Vou retornar ao corpo, assim como a ave retorna ao ninho onde se abriga das tempestades, mas antes rogo a Deus que a abençoe, colocando nesta rogativa a força da gratidão de um filho que teve a felicidade de ter um anjo como mãe!

*   *   *

Interessado em saber sobre esse assunto que intriga muita gente e provoca dúvidas quanto à Justiça Divina, Allan Kardec, Codificador do Espiritismo, fez algumas perguntas sobre idiotismo e loucura aos Espíritos Superiores:

Eis a primeira delas:

Tem algum fundamento o pretender-se que a alma dos cretinos e dos idiotas é de natureza inferior?

E os sábios do espaço responderam:

Nenhum. Eles trazem almas humanas, não raro mais inteligentes do que supondes, mas que sofrem da insuficiência dos meios de que dispõem para se comunicar, da mesma forma que o mudo sofre da impossibilidade de falar.

E o Codificador propôs outra questão:

Que objetivo visa a Providência criando seres desgraçados, como os cretinos e os idiotas?

E a resposta:

Os que habitam corpos de idiotas são Espíritos sujeitos a uma punição. Sofrem por efeito do constrangimento que experimentam e da impossibilidade em que estão de se manifestarem mediante órgãos não desenvolvidos ou desmantelados.

Mais uma pergunta:

Qual será o mérito da existência de seres que, como os cretinos e os idiotas, não podendo fazer o bem nem o mal, se acham incapacitados de progredir?

E a resposta:

É uma expiação decorrente do abuso que fizeram de certas faculdades. É um estacionamento temporário.

Outra questão:

Pode assim o corpo de um idiota conter um Espírito que tenha animado um homem de gênio em precedente existência?

A resposta:

Certo. O gênio se torna por vezes um flagelo, quando dele abusa o homem.                               

A superioridade moral nem sempre guarda proporção com a superioridade intelectual e os grandes gênios podem ter muito que expiar.

Os embaraços que o Espírito encontra para suas manifestações são semelhantes a algemas que tolhem os movimentos a um homem vigoroso.

*   *   *

Como podemos perceber, nas respostas dos Sábios do mundo invisível, o Espírito não é excepcional. Está enclausurado, temporariamente, num corpo desajustado.

Redação do Momento Espírita, com base no livro Perdão!
O caminho para ser feliz, de Nelson Moraes e nas questões
371 a 374 de O livro dos Espíritos, de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 19.04.2011

Posts Relacionados