Tudo é energia. Nossos pensamentos e nossas palavras são as maiores fontes de transmissão de energia de que dispomos. Alcançamos pessoas a quilômetros de distância com nossas energias, tanto positivas quanto negativas. Mas, o primeiro a ser alcançado é quem emana estes pensamentos e palavras. 

Ao vibrar positividade, é como se cuidássemos de nós mesmos com um “auto passe”. O contrário, porém, também é verdade. Imagine que você abriu o chuveiro e, ao invés de água, sai lama.

É isso o que acontece com nosso organismo físico quando vibramos negativamente, ainda que acreditemos estar vibrando positivamente:recebemos a ‘lama’ de nossas vibrações negativas. E isso fica impregnado em nossas células, percorrendo nossa corrente sanguínea e levando-nos a doenças físicas (graves) e desequilíbrios emocionais.

Todos nós precisamos ter muito cuidado com nossas reações perante os fatos que nos cercam. Os acontecimentos atuais em nosso País levaram a uma enxurrada de manifestações de ódio, especialmente pelas redes sociais. Muitas pessoas que jamais demonstraram qualquer atitude agressiva no dia a dia começaram a expressar-se de forma totalmente afastada do bom senso e do equilíbrio, sob a argumentação de não ser um alienado político.

Desejo de morte para seus rivais, incentivo ao suicídio, zombaria a respeito da triste condição em que vivem os presidiários, depredação de prédios, agressão física, xingamentos e tantas outras manifestações que nada de positivo acresce à vida da pessoa e à coletividade.

O que estas pessoas têm de diferente daqueles que partem para as vias de fato, inclusive com a morte de seus adversário? NADA. Porque no resultado do efeito vibracional, as ações de ambos os lados (os que defendem posicionamentos políticos antagônicos) são iguais. No fim, além de todo o prejuízo individual há o prejuízo da coletividade.

Queremos um Brasil melhor??? Doutrinemos nossas vibrações!!!!!
Não conseguiu fazer isso até hoje??? Comece agora!!!!
Afinal, o que estamos vivendo atualmente é o resultado de tanto tempo de vibração negativa, isso no aspecto coletivo. E no aspecto pessoal, será que a vida de quem está empenhado em manifestar estes pensamentos está totalmente equilibrada?

Está na hora de mudar, não é? ORAI E VIGIAI DISSE JESUS (Mateus 26, 41).

Para que possamos viver no mundo que queremos, precisamos estar atentos aos mínimos detalhes de nossas condutas. A Pátria do Evangelho chama seus filhos à luta, porém, à luta espiritual que fará do nosso País um oásis em meio ao caos, permitindo que as expiações e provas sejam cumpridas dentro do fraterno acolhimento do Evangelho.

Chico Xavier, em entrevista ao Jornal “O Triângulo Espírita”, edição de abril/maio de 1993, assim orientou:

Pergunta – “Chico, com tanta violência e corrupção em nosso país, os Benfeitores acreditam que o Brasil seja o “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho?”

Resposta – “Essa pergunta tem sido assunto em muitos diálogos com os companheiros de nossa casa. O nosso Emmanuel é de opinião que dentro do mundo turbulento, com a incompreensão comandando tantos corações, tantos milhões de pessoas, não pode ser motivo de dúvida para nós que o Brasil é o coração do mundo. A violência que existe no Brasil é a que existe no mundo, mas como povo nós temos sabido honrar a destinação a que fomos chamados. Como povo temos sofrido a reviravoltas enormes, inconformações, dilapidações, faltas graves daqueles que foram chamados a dirigir nossos destinos. Mas as nossas mãos não se sujaram com sangue fraterno. Quantos povos, por muito menos, acharam na rebelião e na indisciplina a porta falsa a que eles se atiraram para encontrarem dificuldades muito maiores. (acreditem ou não, aceitem ou não, a reencarnação vem aí! – o adendo é nosso). Somos, sim, uma grandeza da Terra em que nós renascemos. Somos filhos do coração do mundo. E o Senhor nos fortalecerá para sermos filhos também da Pátria do Evangelho, quando soar a hora em que formos chamados para a grande renovação”.

Para que esta renovação aconteça, os bons espíritos deixaram valiosa lição no Evangelho Segundo o Espiritismo sobre o que é ser um homem de bem (cap. XVII, item 3). Nesta encontramos a orientação de que “o verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e de caridade em sua maior pureza. Se interroga a consciência sobre seus próprios atos, pergunta a si mesmo se não violou essa lei; se não fez o mal e se fez todo o bem que podia (…); respeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança o anátema àqueles que não pensam como ele”. Grandiosa e valiosa lição sobre a qual devemos refletir a todo momento, e praticar em nossas atitudes seja em casa, no cinema, no trabalho, na escola, no shopping, na rua, no trânsito, na escolha das leituras a serem feitas bem como dos programas de TV, na convivência com vizinhos, afetos e desafetos e, também, naquilo que optamos por manifestar nas redes sociais, que alcançam tantas pessoas facilmente influenciadas por aquilo que vibramos.

A responsabilidade é individual e o alcance é geral.

Fonte: Letra Espirita

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 26/04/18, na Rede Espirit Book