Os anjos da guarda são espíritos mais evoluídos do que aqueles a quem acompanham e não medem esforços para tentar encaminhar seus protegidos para o bem. A relação de amizade e lealdade que estabelecem nasce da vivência espiritual de cada um.“Algumas vezes, os anjos guardiões podem ser espíritos de familiares que já desencarnaram, mas na maioria dos casos são espíritos amigos que trabalham por nossa evolução. Nós temos uma família espiritual e o espírito protetor surge desse grupo de espíritos simpáticos que estão sempre por perto”, explica Regina.

Nas adversidades ou nos momentos de alegria, nossos protetores se fazem presentes. Suas orientações podem até passar desapercebidas no dia a dia de algumas pessoas, que as recebem como se fossem sensações meramente intuitivas.

Ainda assim, a regra vale para todos: a influência dos anjos guardiões não delimita nossos atos e sequer nos impede de decidir qual o caminho de nossa preferência, ou seja, não interfere em nossas escolhas e decisões.

Utilizar o livre arbítrio faz parte da evolução espiritual, por isso, cabe a cada um de nós tentar compreender as mensagens positivas e negativas que lhes digam respeito para encontrar, assim, a melhor maneira de superar cada obstáculo que surja no caminho. Para isso, é preciso estar sempre atento a fim de impedir que influências ruins atrapalhem essa jornada.

“Nossos anjos nunca nos abandonam, mas podem se afastar de acordo com a condição de cada um. Se sua vibração estiver muito baixa, outras entidades inferiores podem acompanhar seu pensamento. E quando protegem uma pessoa muito negativa, ou que blasfema muito, por exemplo, os espíritos protetores se distanciam, mas nunca deixam de observar seus passos. Mas quando você realmente precisar, ele estará ao seu lado para te acompanhar”,

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 12/09/17, na Rede Espirit Book.