”Esses grandiosos monumentos teriam duas finalidades simultâneas:
representariam os mais sagrados templos de estudo e iniciação, ao
mesmo tempo que constituiriam, para os pósteros, um livro do passado,
com as mais singulares profecias em face das obscuridades do porvir.
Levantaram-se, dessarte, as grandes construções que assombram a
engenharia de todos os tempos. Todavia, não é o colosso de seus milhões
de toneladas de pedra nem o esforço hercúleo do trabalho de sua
justaposição o que mais empolga e impressiona a quantos contemplam
esses monumentos. As pirâmides revelam os mais extraordinários
conhecimentos daquele conjunto de espíritos estudiosos das verdades da
vida. A par desses conhecimentos, encontram-se ali os roteiros futuros da
humanidade terrestre. Cada medida tem a sua expressão simbólica,
relativamente ao sistema cosmogónico do planeta e à sua posição no
sistema solar. Ali está o meridiano ideal, que atravessa mais continentes e
menos oceanos, e através do qual se pode calcular a extensão das terras
habitáveis pelo homem, a distância aproximada entre o Sol e a Terra, a
longitude percorrida pelo globo terrestre sobre a sua órbita no espaço de
um dia, a precessão dos equinócios, bem como muitas outras conquistas
científicas que somente agora vêm sendo consolidadas pela moderna
astronomia”.
LIVRO: A CAMINHO DA LUZ, pág. 46-47.

 
Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 27/01/18, na Rede Espirit Book.