Novas evidências ampliam chances de cassação de Temer

O processo que pode levar à cassação do mandato do presidente Michel Temer já tem 15 000 páginas e reuniu evidências que não deixam margem a dúvida: dinheiro sujo, oriundo de múltiplos esquemas de corrupção, foi usado para reeleger Dilma Rousseff (PT).

Parte dessas transações já foi amplamente mapeada pela Lava Jato. A outra parte vai complicar a situação do peemedebista no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que julgará ação que pede a cassação da chapa.

O relator, ministro Herman Benjamin, decidiu requerer ao Supremo Tribunal Federal (STF) cópias dos depoimentos dos executivos da Odebrecht tão logo suas delações sejam homologadas. Pelo que já foi revelado, sabe-se que a empreiteira, além de comprometer Dilma e os petistas, relatou ter feito doações clandestinas ao PMDB, a pedido de Temer. Os dois partidos, portanto, teriam se beneficiado fraternalmente do mesmo dinheiro ilegal, alcançado os mesmos benefícios e praticado os mesmos crimes eleitorais. O conjunto das evidências de irregularidades ganhou um potente anexo na semana passada.

Em relatório ao TSE, a Polícia Federal disse que parte dos valores desembolsados a gráficas pela chapa não resultou na prestação de nenhum tipo de serviço. O dinheiro teria sido desviado para pessoas físicas e jurídicas “em benefício próprio ou de terceiros”.

Colaborou Hugo Marques

Nosso comentário: sequer será necessário fazer quaisquer comentários à podridão generalizada que graça na política brasileira. E ainda tem gente e pseudo-ministros e pseudo-juízes que teimem e querem “forçar a barra” tentar incriminar Lula, que ainda não o fizeram porque conseguiram encontrar reais evidências de quaisquer tipos de corrupção. E ainda inventam um “figurão” delegado que afirmou que ele era o chefe da quadrilha. É preciso ser muito cara de pau. Esse delegadozinho deveria ser preso, se realmente houvesse justiça neste país, por fazer uma afirmação falsa, sem qualquer comprovação. Já disse e repito: para passar o Brasil a “pente fino” e acabar com a corrupção, só tem um jeito. Fechar o Congresso Nacional. Eleger um grupo de pessoas para constituir uma Frente de Salvação Nacional formada por  pessoas à prova de qualquer indício de corrupção e organizar eleições para todo o Brasil e para todos o tipo de governos. Acabando com essas eleições de dois em dois anos. Que seja feito tudo de uma só vez. Só aí já se evidencia uma grande contenção de despesas. Mas esses candidatos terão que ter ficha limpa de verdade, à prova de quaisquer indícios de corrupção ou qualquer outro tipo de crimes. Quaisquer suspeitas posteriores serão motivo imediato de suspensão de mandato. Acabar com os “vices”. São um peso morto na sociedade que já está lotada de “parasitas”, inclusive o vice-presidente. Só nos Estados Unidos existe isso, porque a política deles é outra, mas o Brasil gosta de copiar o que não presta dos americanos, e que não se enquadra na realidade brasileira, como este caso. Ah, e não esquecer de reduzir drasticamente o salário de todos os governantes e quadros administrativos para realidades brasileiras e não para ficções, mas deixando o povão na mendicidade… Enquanto estas medidas não forem tomadas, viveremos eternamente na ilusão de pretender passar o Brasil a limpo, só para alguns e outros continuarão eternamente neste ciclo vicioso…

Alberto Maçorano

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *