O Evangelho Segundo o Espiritismo – CAPÍTULO I

1. Não penseis que vim destruir a Lei ou os profetas. Não vim destruí-los, mas dar-lhes cumprimento; porque em verdade vos digo, que ninguém passará pela Terra e pelo Céu sem cumprir plenamente a Lei; nada será omitido, sem que tudo seja realizado. (Mateus, cap.V; v.17 e 18)

Moisés

2. Há duas partes distintas na lei mosaica: a lei de Deus promulgada no monte Sinai, e a lei civil ou disciplinar, estabelecida por Moisés. A primeira é invariável; a outra, adaptada aos costumes e características do povo, modifica-se com o tempo. A Lei de Deus está formulada nos dez mandamentos seguintes:

1) – Eu sou o Senhor, teu Deus, que te fez sair do Egito, da vida de servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás imagens esculpidas nem figura alguma de nada que se assemelhe ao que existe no céu, na Terra ou nas águas. Não os adorareis nem lhes rendereis o soberano culto.
2) – Não invocarás em vão o nome do Senhor teu Deus.
3) – Lembra-te de santificar o dia de sábado.
4) – Honra o teu pai e a tua mãe.
5) – Não matarás.
6) – Não cometerás adultério.
7) – Não roubarás.
8) – Não levantarás falso testemunho.
9) – Não desejarás a mulher alheia.
10) – Não cobiçarás a casa do próximo nem coisa alguma que lhe pertença.

Esta é a lei de todos os tempos e de todos os povos e, por isso mesmo, de caráter divino. Todas as outras foram estabelecidas por Moisés, obrigado a manter pelo medo um povo naturalmente violento e indisciplinado, de crendices e preconceitos enraizados adquiridos na servidão do Egito. Para dar autoridade às suas leis, teve que atribuir-lhes origem divina, como o fizeram todos os legisladores dos povos primitivos.

A autoridade do homem devia apoiar-se no poder de Deus. Mas somente a ideia de um Deus terrível poderia impressionar homens ignorantes, nos quais, o senso moral e o sentimento de uma justiça isenta, eram ainda pouco desenvolvidos. É evidente que aquele que colocara nos seus mandamentos: “… não matarás; não farás mal ao próximo”…, não podia contradizer-se, sancionando a obrigação do extermínio. As leis mosaicas, propriamente ditas, tinham, portanto, uma característica essencialmente transitória.

Posts Relacionados