MÉDIUM DE SUSTENTAÇÃO ou Médium Doador, é todo aquele que, por não apresentar a mediunidade ostensiva, pode funcionar como dínamo de vibrações, garantindo, assim, a sustentação da corrente mediúnica, doando fluidos, boa vontade, socorrendo milhares de desencarnados, em um grande elo de fraternidade e imenso Amor!

Pena que muitos desistam, por não achar que são úteis, em função de que muitas vezes, nada sentem, por desconhecimento ou por falta de perseverança

 e perdem a maravilhosa oportunidade de servir na “Mesa da Caridade”, ignorando às palavras de Jesus: “Nos finais dos tempos, encarnados e desencarnados dariam às mãos, para ajudar o Senhor a praticar a “REGENERAÇÃO”!

Mesmo achando que sua participação de menor sua participação sob o ponto de vista do fenômeno, a sua contribuição é constante e de suma importância, para a efetivação de toda tarefa mediúnica, como será abordado.

O participante Doador deve preparar-se para a situação eventual de conviver com o grupo por muitos anos, sem que nenhum fenômeno ostensivo seja apresentado em sua intimidade, sendo comum mesmo o desenvolvimento de preciosas mediunidades, as quais se acham apenas em potencial, em período de expectativa e de provas, a fim de se lhes experimentarem a paciência e a tenacidade.

Haverá sempre outros companheiros, sem “mediunidade ostensiva”, que podem e devem participar, respeitados o limite numérico e a qualificação pessoal, merecendo tais participantes atenção e cuidados, como quaisquer outros que integrem o grupo. Os instrutores espirituais insistem sempre que todos os recursos humanos colocados à disposição do trabalho são aproveitados, devendo deixar aos operadores desencarnados a incumbência de decidir quanto à utilização dos recursos de cada um.

Esclarecimento dado por um dos Espíritos orientadores do grupo ao qual pertenciam. Quando lhe foi perguntado sobre a função de um dos integrantes sem mediunidade ostensiva, “afirmou que (…) tal pessoa (…) prestava excelentes serviços, como um „dínamo de vibrações amorosas‟, de que estava pleno o seu coração. Esses recursos eram amplamente utilizados no trabalho, sem que ela tivesse consciência do fato.”

Independentemente da denominação recebida, percebemos o valor deste instrumento de Jesus, como aquele carreador de correntes vibratórias, tão importante para a realização dos fenômenos mediúnicos, como é o médium ostensivo, o qual Allan Kardec afirmou ser impossível a manifestação espírita sem a sua presença. Muitos destes médiuns, chamados de sustentação, desconhecendo essa realidade, lamentam muitas vezes não terem reencarnado com um determinado aspecto mediúnico, ou seja, com mediunidade ostensiva, por acharem que a sua participação em um Trabalho Mediúnico, seja de menor importância.

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 10/05/18, na Rede Espirit Book.