Nada é por acaso, muito menos o desgaste do juiz Sérgio Moro na última pesquisa Ipsos, na qual ele ainda é muito mais avaliado do que políticos de ponta e até ministros do Supremo. Mas perdeu pontos justamente no Norte, no Nordeste e nas classe D e E. Aí tem!

É justamente no Norte e Nordeste que o PT e particularmente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva são campeões de votos e têm os mais fiéis seguidores, cegos surdos e mudos para quaisquer revelações da Lava Jato, que opõem Moro a Lula.

 Ali, a versão de Lula vale mais do que os fatos de Moro. E estão nas classes D e E os cidadãos e cidadãs com menor escolaridade e maior ingenuidade, menor nível de informação e maior crença no que Lula diz. Aliás, ele está percorrendo o Nordeste, num périplo que o PT chama de “Caravana pelo Brasil” e seus críticos apelidaram, ironicamente, de “Caravana da Saudade ou da Despedida”.

Ninguém é perfeito. Sérgio Moro não é perfeito. Mas é incrível como podem conferir 37% de desaprovação para o símbolo de uma operação que escarafunchou a corrupção como nunca antes no país, revelou roubalheira de bilhões de reais e está mostrando que a justiça finalmente não só deve como pode ser igual para todos. Logo o juiz está enfrentando contrainformação. A cúpula e a militância do PT não conseguem defender Lula da acusação de que foi comprado pelas empreiteiras e comandou o fatiamento da Petrobrás entre corruptos de partidos, empresas e da própria companhia. Assim, partem para o ataque, na velha base de “nós contra eles”. Lula é santo. Quem o acusa é demónio. (..)

Eliane Cantanhede
Jornal A Cidade
Ribeirão Preto, 01/09/17

Nosso comentário: cego, surdo e falar aquilo que não deve falar é o pior que pode acontecer a um jornalista (a) que emite uma opinião de alguém baseado naquilo que os outros falam. Fiquei sabendo agora que o voto de um analfabeto tem menor peso do que o voto de um académico. Como se pode revelar tanto preconceito… Então terá que ser revisto todo o processo de votação, excluindo os analfabetos e uma votação só para doutores. Todavia, conseguimos, por vezes, enxergar maior discernimento no analfabeto do que no doutor. Portanto essa tese é discriminatória e sem fundamento, pois, a roubalheira a que estamos assistindo é proveniente da classe doutorada. Por outro lado, o Lula foi eleito presidente da República apenas com a votação do Norte e Nordeste?

Como um juiz pode ser considerado um símbolo do combate à corrupção quando consegue empreender uma quantidade de denúncias vazias contra Lula? Como um juiz pode ser considerado um símbolo do combate à corrupção quando se dá ao “luxo” de condenar um cidadão sem ter um único documento comprobatório daquilo que acusa? É a isso que a senhora jornalista chama de justiça? Como um juiz pode ser considerado um símbolo do combate à corrupção quando chega a receber um cheque no valor de mais de 100 mil reais e o resto do povo vive na mendicância? Como um juiz pode ser considerado um símbolo do combate à corrupção quando os seus comparsas vivem na opulência chegando ao cúmulo de se receber

um cheque de quinhentos mil reais num mês de salário e o povo vive na indigência?… Como um juiz pode ser considerado um símbolo do combate à corrupção condicionando por muito tempo a Lava Jato ao Lula e ao PT, quando foram desmascarados um número infinito de políticos e governantes, inclusive o presidente da República envolvidos em crimes de corrupção e fabulosas propinas e só o PT e o Lula pagam o pato? É cabível um país ser governado por um presidente envolvido em corrupção, bem como a maior parte do seu governo e a maioria do Congresso ser comprada para evitar a denúncia de corrupção do senhor presidente da República, e o senhor Sérgio Moro preocupar-se ao extremo num inofensivo tríplex e num sítio sem ter qualquer documento incriminatório quando a corrupção corre solta pelo resto do país? É nisto que consiste a justiça de acabar com a corrupção, na qual só um cego não enxerga a parcialidade e quando a casta de procuradores e juízes vivem na opulência e o povo mal sobrevive?

Por favor nos poupe Eliane Cantanhede e nunca faça afirmações baseadas naquilo que os outros dizem, sobretudo quando não fundamentadas. Deixe de ser discriminatória e preconceituosa. Voto é voto, independente de ser ou não doutor. E, por vezes, é mais confiável o do analfabeto do que o do doutor. E enquanto houver neste país uma casta de superprivilegiados e o povo lutando pela sobrevivência, o pseudo-combate à corrupção jamais será um fato.

 

Alberto Maçorano