Fui átomo, vibrando entre as forças do Espaço,

Devorando amplidões, em longa e ansiosa espera…

Partícula, pousei… Encarcerado, eu era

Infusório do mar em montões de sargaço.

 

Por séculos fui planta em movimento escasso,

Sofri no Inverno rude e amei a primavera:

Depois, fui animal, e no instinto da fera

Achei a inteligência e avancei passo a passo…

 

Guardei por muito tempo a expressão dos gorilas,

Pondo mais fé nas mãos e mais luz nas pupilas,

A lutar e chorar para, então, compreendê-las! …

 

Agora, homem que sou, pelo Foro Divino,

Vivo de corpo em corpo a forjar o destino

Que me leve a transpor o clarão das estrelas! …

 

 

Adelino de Fontoura Chaves

Do livro: Antologia dos imortais

Chico Xavier – Waldo Vieira

 

Acesse Youtube: mensagem espírita jornada