Afirmas absoluta solidão … Dizes não existir um só coração que te afague os sentimentos belos, que o alimentem de nobres sonhos … Perguntas aos vãos da tua morada: com quem compartilhar os planos do amanhã e as realizações do agora? Onde uma mão amiga a estender-se para pensar tuas enfermidades? Adiantando o porvir, reclamas uma alma que te acompanhe as últimas horas na jornada física … Dores do teu valoroso coração que se não perdem nos ventos da Terra … Se crês no amor, acalma teus anseios e ausculta nas cortinas do teu próprio Ser, uma luz que vela tua caminhada, como serena chama em noite tempestuosa, a te falar blandícias e consolações, sem que atines na sua ação. Tal Luz é o Cristo, que padecendo contigo as tuas provações, acompanha-te no teu calvário de iluminação, reservando-te o jugo da ínfima parte do teu madeiro redentor.
-Mensagem psicografada por Francisco Cândido Xavier/ Meimei –

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 03/07/16, na rede Espirit Book