Hino nacional brasileiro, legendado:

https://www.youtube.com/watch?v=

2HnEud_VRYY

Com este simbólico gesto homenageamos o valente povo brasileiro, traços da herança do valoroso povo português. Apesar de ser português, considero-me também um brasileiro nesta terra. Tal e qual John Kennedy (presidente dos Estados Unidos) disse a famosa frase em 25 de Junho de 1963, em Berlim Ocidental, quando a ex-União Soviética havia separado a parte oriental sob o seu domínio, através do famoso e triste “muro de Berlim ou muro da vergonha”, como ficou sendo conhecido: “Ich bin ein Berliner” (Em Berlim, sou um berlinense), também digo neste momento, no Brasil, sou um brasileiro. É muito sensibilizante um português estar em país estrangeiro e falar a mesma língua ou vice-versa. Por isso a língua portuguesa é um forte traço de união entre povos.

Assim como cada pessoa é o único responsável pela sua vida, também as nações são as únicas responsáveis pela trajetória dos seus países. Quase duzentos anos de história como nação independente, não tem fundamento atribuir aos portugueses as mazelas que o Brasil vem sofrendo, como alguns pretendem, mesmo que sub-repticiamente.

Apesar das tragédias que este valoroso povo vem sofrendo por uma escória da sua população, está destinado ao Brasil, espiritualmente, ser, um dia, o centro irradiador do Evangelho redentor de Jesus Cristo. É muito oportuno ler um livro psicografado pelo famoso Chico Xavier, da autoria espiritual do espírito “Humberto de Campos” não menos famoso jornalista que viveu no Rio de Janeiro, intitulado: “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”, onde se narra a História do Brasil, antes mesmo de existir fisicamente, até à implantação da República, como nenhum manual académico consegue narrar.

O Brasil passará por um grande expurgo dos seus malfeitores e um dia, podem crer, será essa pátria tão desejada. Espero que em outra reencarnação possa vir a renascer nessa tão desejada pátria.

Alberto Maçorano

 

Posts Relacionados